A partir das 19h de hoje, no pavilhão A do Parque Municipal de Eventos, a comunidade de Jaraguá do Sul terá a oportunidade de esclarecer dúvidas e contribuir com sugestões e críticas para a Revisão do Plano Diretor. A 10ª oficina preparatória reunirá lideranças escolhidas durante as nove reuniões setoriais, que onde foram expostos os anseios de 41 localidades de Jaraguá do Sul. A oficina oportunizará a participação aos que não puderam comparecer nos encontros anteriores. O presidente do Instituto Jourdan, organizador do evento, destaca que a oficina de hoje será o fechamento das propostas presenciais e visa apontar as diretrizes ao desenvolvimento do município nos próximos anos, como mobilidade e acessibilidade, meio ambiente, patrimônio cultural e serviços urbanos. Paralelamente, o órgão aguarda a entrega de questionários, por e-mail, ou escritos, entregues diretamente na sede do Instituto, até 15 de junho. Outro meio da população contribuir com esse processo é a Minuta Participativa, canal online disponibilizado através de cadastramento no site www.jourdan.org.br desde a última sexta-feira (25) e que se estende até o final de junho. O Plano Diretor vigente foi instituído na lei 65/2007 e a entrega do novo plano diretor tem prazo até em maio de 2017. Ronaldo Lima constata que nas oficinas realizadas entre abril e maio houve um interesse maior da participação popular. Dentre as surpresas encontradas, cita as posições em relação ao patrimônio cultural. “A gente tem a impressão de que a preservação do patrimônio não é bem vista, mas vimos herdeiros que pedem apoio para manter a cultura e o legado histórico”, constata. Sobre as habitações de interesse social, registrou opiniões favoráveis de que “sejam construídas mais próximas do contexto urbano, para que se reveja a segregação, em áreas muito distantes”. Ainda segundo Lima, hoje a área urbana do município é de 118,33 quilômetros quadrados, mais o núcleo urbano do Santa Luzia, de 4,46 quilômetros quadrados. “Existem canais abertos, constantes, para a participação da comunidade”, complementa Ronaldo Lima.