Na tarde deste domingo (17), o Leão do Vale venceu o Juventus por 1 a 0, no Estádio João Marcatto, e largou bem nesta que é sua estreia na Série B do Campeonato Catarinense. Já o Moleque Travesso lamentou a derrota e saiu de campo reclamando muito da arbitragem, em virtude de uma expulsão do meia Rosembrick e um gol anulado de Linno no segundo tempo.

CONFIRA COMO FOI A PARTIDA

https://www.youtube.com/watch?v=hOi6pCZ5gKA&feature=youtu.be Depois de um começo morno, com as equipes se estudando e arriscando pouco na frente, o Juventus teve a primeira grande chance de gol, aos 8 minutos. Rosembrick puxou ataque e tocou para Matheus Leiria, que chutou forte de fora da área, obrigando André a fazer grande defesa. Com uma proposta mais ofensiva, o Tricolor dominava a posse de bola e chegava com mais facilidade à área, enquanto que o Jaraguá esperava o erro do rival para surpreender no contra-ataque. Aos 25, o Leão chegou pela primeira vez com perigo, em chute de Paulo Henrique que passou raspando o travessão. A partir daí, o time da Barra começou a gostar do jogo e ter maior presença no setor ofensivo, criando ainda boas oportunidades com Willian Dadá e Heitor, mas o empate sem gols persistiu até o intervalo. Assim como terminou o primeiro tempo começou o segundo, com o Jaraguá em cima do Juve e quase alterando o marcador logo no minuto inicial, com o meia Nando, que pegou rebote de escanteio e quase marcou. O tricolor respondeu aos 8, após Valber se livrar da marcação e finalizar para boa defesa de André. Mas com maior controle da bola e acerto de passes, o Leão conseguiu abrir o placar aos 24 minutos. Em cruzamento de Paulo Henrique, a bola passou por todo mundo na área e sobrou limpa para o zagueiro João Campestrini, que só teve o trabalho de empurrar no canto esquerdo. Aos 30, veio o lance mais polêmico do jogo. Rosembrick cruzou e Linno subiu mais alto que o adversário para empatar, mas o assistente viu impedimento e anulou o gol, gerando revolta dos atletas e torcida juventina. Para piorar a situação, no minuto seguinte, Rosembrick levou o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Mesmo com um jogador a menos, o Moleque Travesso lutou até o fim e tentou buscar o empate sufocando o rival através de cruzamentos na área, mas acabou não surtindo efeito e o Jaraguá segurou o 1 a 0 até o apito final. “Estreia sempre tem tensão e um nervosismo a mais, ainda se tratando de um clássico da cidade. É início de campeonato, mas sabemos que temos de melhorar. O gol deles foi meio duvidoso e anularam o nosso, então foi uma arbitragem um pouco tendenciosa. Mas agora já são águas passadas e vamos trabalhar durante a semana para recuperar estes três pontos na próxima rodada”, disse o zagueiro Linno. “Sabíamos da dificuldade que ia ser o jogo e ainda mais no primeiro clássico da história do futebol de Jaraguá do Sul. Mas também sabíamos da oportunidade de conquistar os três pontos. Acreditamos no nosso elenco e fomos coroados no final”, destacou João Campestrini, autor do gol da partida. Agora, as equipes voltam a atuar pelo Estadual no próximo fim de semana. O Jaraguá joga novamente como mandante, só que desta vez contra o Operário de Mafra, no domingo (24), às 15h, no Estádio João Marcatto. No mesmo dia e horário, o Juventus enfrenta o Porto, no Estádio Antiocho Pereira, em Porto União. Ficha Técnica Jaraguá: André; Maicon, João Campestrini, Marcondes e Giovani; Jamaica, Nêgo, Paulo Henrique, Nando e Heitor; Willian Dadá. Técnico: Michael Neves Juventus: Bruno; Paulo Ricardo, Linno, Maceió e Brenner; Baiano, Jonathan, Rodolfo, Rosembrick e Valber; Matheus Leiria. Técnico: Eduardo Clara. Local: Estádio João Marcatto, em Jaraguá do Sul (SC). Data: 17/07 (domingo). Hora: 15h. Árbitro: Cinésio Mendes Júnior. Auxiliares: Antonio Lourival da Luz e Jennifer Cassiane Soares. Gol: João Campestrini (Jaraguá), aos 24 minutos do segundo tempo.