Uma das principais tenistas do circuito feminino, Naomi Osaka vem utilizando a visibilidade do Grand Slam de US Open para espalhar conscientização sobre injustiça racial.

A cada jogo do torneio de Nova York, a japonesa vai estampar o nome de uma vítima do racismo na máscara, item obrigatório por causa da pandemia do coronavírus.

Na partida de estreia na última segunda-feira (31), quando venceu a compatriota Misaki Doi, ela entrou e saiu de quadra com uma máscara com o nome de Breonna Taylor.

“É muito triste que sete máscaras não sejam suficientes para a quantidade de nomes, então espero chegar à final para que você possa ver todos eles”, disse a número 9 do mundo.

Foto: Reprodução/Twitter

Taylor é uma socorrista negra que foi baleada por policiais em Lousville, no estado de Kentucky, em março.

“Estou ciente de que o tênis é assistido em todo o mundo, e talvez haja alguém que não conheça a história de Breonna Taylor. Para mim, trata-se apenas de divulgar a história. Sinto que quanto mais as pessoas souberem da história, mais interessantes ou interessadas se tornarão nela”, declarou.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul