O esporte nos traz diariamente inúmeras histórias de superação. Que diga o futebol. O sonho de se tornar jogador profissional permeia a cabeça das crianças, principalmente as que não têm uma condição financeira favorável.

Apesar de um número menor, o mesmo acontece também entre os adultos. E um caso descoberto nesta semana em Jaraguá do Sul demonstra a obsessão de muitas pessoas em busca do sucesso nos gramados.

Em uma ronda normal pela cidade na manhã de terça-feira (26), policiais militares avistaram um individuo dormindo dentro de um carro, com placas de Curitiba-PR, em frente a uma creche localizada no bairro Jaraguá Esquerdo.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Nele, estava um homem de 27 anos, que viria a contar uma das tantas histórias emocionantes no mundo da bola.

Com a ambição de virar profissional, Leandro Carvalho dos Santos deixou a esposa e duas filhas na capital paranaense para realizar testes no Juventus, que foram iniciados na última segunda-feira (25). Mas a trajetória de superação até chegar a Jaraguá começou bem antes.

Há um mês, ele teve seu carro furtado em Curitiba, que acabou sendo recuperado dez dias depois, somente com o motor.

Com o veículo praticamente todo reconstruído, Leandro sofreu outro baque às vésperas de se deslocar ao norte catarinense, quando as quatro rodas do seu Kadett foram roubadas no sábado (23).

Sem muitas condições financeiras, precisou comprar peças de ferro para conseguir viajar. Como o dinheiro gasto nas rodas seria destinado para uma possível hospedagem no clube, o curitibano decidiu dormir no carro, próximo ao estádio João Marcatto, para sobrar o mínimo de recursos para alimentação.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Ao ter conhecimento do caso, os policiais prestaram ajuda ao atleta, que posteriormente recebeu auxílio do Juve e está hospedado no alojamento do clube desde então.

Mais do que sua dedicação fora do comum para alcançar o profissionalismo no esporte, Leandro busca aprovação no Tricolor para dar uma vida melhor a sua família.

“Esse sonho é importante para ajudar minha família. Minha esposa me incentiva muito e falou para eu vir para Jaraguá continuar tentando, mesmo com todas as dificuldades. Elas estão na torcida e estou aqui pelas três”, destaca.

História no futebol

Natural de Curitiba-PR, Leandro deu seus primeiros chutes aos 5 anos de idade, com a entrada em uma escolinha da cidade paranaense. A paixão pela bola acabou interrompida dois anos mais tarde, devido ao falecimento do seu pai e maior incentivador.

A carreira só foi retomada aos 11 anos, quando passou a jogar futebol amador e fazer testes em clubes, alguns importantes como o Paraná, mas sem sucesso.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Mesmo ouvindo vários ‘nãos’, seguiu jogando nos campos de várzea e conciliando trabalhos fora dos gramados para sustentar a família. Foram inúmeros, como padeiro e madeireiro, por exemplo. Mas a cabeça sempre esteve no objetivo de se firmar em algum time profissional, até que, surgiu a oportunidade de fazer avaliações no Juventus.

“Enquanto tiver 1% de chance vou continuar tentando. Meu sonho não vai parar e vou buscar ser profissional até o fim. Eu sofro, mas nunca desisti. É o meu sonho e quero seguir correndo atrás dele, porque uma hora pode dar certo”, declara.

Expectativa pela aprovação

Ao lado de Leandro, cerca de 20 atletas estão no Juventus em busca da permanência no clube para as novas etapas de avaliações.

Entre treinamentos físicos e técnicos, aconteceu um jogo-treino na quarta-feira (27), no estádio João Marcatto. O que era para ser uma simples partida acabou gerando muita emoção ao meia paranaense.

“O clube tem uma estrutura muito boa e quando pisei no gramado até me deu vontade de chorar, porque nunca joguei em um estádio grande como esse. Acho que fiz um bom jogo. Vamos ver no que dá, mas acredito que posso ficar”, comenta.

Para profissionais da comissão técnica do Juventus, como William Gaspar, o Mister, a história de superação de Leandro motiva os demais atletas a buscar a aprovação nos testes, que encerram nesta sexta-feira (29). 

“Todos sonham com a profissionalização e se sensibilizaram com a história. Ela repercute de forma positiva para todo mundo, pois a superação do Leandro serve de exemplo”, finaliza.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?