Se não bastasse a lanterna da Série B do Brasileiro, a Ponte Preta teve que passar por mais uma cena triste na temporada.

Durante o treino desta segunda-feira (21), no CT do Jardim Eulina, bombas e rojões foram atirados no gramado. A atividade precisou ser interrompida.

Em nota, o clube disse que morteiros foram atirados em direção ao campo por pessoas às margens da Rodovia Anhanguera enquanto o time se preparava para enfrentar o Operário-PR, nesta terça-feira (22), pela sexta rodada da competição nacional.

“A Ponte Preta condena e refuta veementemente o ataque criminoso ocorrido nesta manhã ao CT do Jardim Eulina, no final da manhã, durante o treinamento dos atletas. A instituição enfatiza que não se trata de nenhuma ação de torcedores insatisfeitos, mas, sim, de vandalismo praticado por marginais que, de posse de um veículo de cor vermelha, pararam na Rodovia Anhanguera e jogaram bombas e morteiros no gramado do CT”, diz um trecho do comunicado.

Por sorte, ninguém ficou ferido. O fato acontece dois dias depois da Macaca perder o dérbi de Campinas para o Guarani por 1 a 0.

No Campeonato Paulista, o elenco já havia sido atacado por pedras arremessadas no ônibus após a derrota para a Inter de Limeira, no fim de abril.