Tigre inicia a temporada 2024 campeão da Recopa Catarinense

Fotos: Celso da Luz/ Assessoria de Imprensa C.E.C.

Por: OCP News Criciúma

17/01/2024 - 08:01 - Atualizada em: 17/01/2024 - 08:49

O Criciúma iniciou a temporada 2024 com título. O Tigre, atual campeão estadual, recebeu o Marcílio Dias, ganhador da Copa Santa Catarina, pela Recopa Catarinense e venceu o adversário de Itajaí pelo placar de 2 a 0.

A decisão foi disputada na noite desta terça-feira no Estádio Heriberto Hülse. Os gols carvoeiros foram marcados por Felipe Vizeu e Eder, na primeira etapa.

Vizeu e Eder marcaram os gols do Tigre na Recopa Catarinense

A equipe do técnico Cláudio Tencati, que está em sua terceira temporada no Tigre, volta a campo neste sábado na estreia do Campeonato Catarinense. Os atuais campeões recebem o Figueirense às 16h30min, no Heriberto Hülse.

Antes do apito inicial, os atletas exibiram uma faixa com o tema “Pelo fim da violência contra as mulheres. Essa é a regra do jogo!”, em homenagem à torcedora membro da organizada Guerrilha Jovem, Franciele de Jesus Fogaça.

Ela foi vítima de feminicídio no dia 23 de dezembro, aos 31 anos, e sua morte causou grande comoção na região e entre os torcedores do clube.

No reencontro do Tigre com o Majestoso, mais de dez mil torcedores acompanharam a estreia do Criciúma na temporada, mesmo com a forte chuva que antecedeu e acompanhou o primeiro tempo.

Através de uma parceria com a Federação Catarinense de Futebol (FCF), o Criciúma pôde expor as suas marcas patrocinadoras em nível nacional e internacional através da transmissão dos canais Sportv e Premiere. Além disso, a disputa da Recopa Catarinense contou com um painel de led apresentando os parceiros do clube durante toda a partida.

CRICIÚMA FICA COM O TROFÉU “ZAGALLO”

O Criciúma, primeiro campeão da temporada 2024, recebeu o troféu “Mário Jorge Lobo Zagallo”. O nome da taça foi uma homenagem da Federação Catarinense de Futebol (FCF) ao “Velho Lobo”, que faleceu no início deste ano.

O maior legado de Zagallo foi ostentando a camisa verde e amarela da Seleção Brasileira. Ele venceu quatro Copas do Mundo: duas com jogador (Suécia 1958 e Chile 1962), uma como técnico (México 1970) e a última como coordenador técnico (Estados Unidos 1994).

Dono de uma superstição com o número 13 e autor de frases célebres, Mário Jorge será lembrado por ser o treinador da elegante e talentosa Seleção Brasileira de 1970, uma das equipes mais geniais do futebol mundial.

Eder e o filho Dudu posam para foto com o troféu “Mário Jorge Lobo Zagallo”