A japonesa Naomi Osaka surpreendeu Roland Garros nesta segunda-feira (31) ao anunciar que está desistindo do torneio seguindo sua decisão de boicotar atividades midiáticas pós-jogo e explicando que sofre de depressão há quase três anos.

Antes do torneio, a tenista disse que não participaria das coletivas de imprensa obrigatórias, dizendo que a maneira como os jornalistas indagam os atletas tem um impacto adverso em seu bem-estar mental.

A vencedora de quatro títulos de Grand Slam cumpriu a ameaça no domingo (30), quando venceu sua partida de primeira rodada e se ausentou de uma entrevista coletiva.

Ela foi multada pelo árbitro de Roland Garros em 15 mil dólares, e mais tarde os organizadores do Grand Slam emitiram um comunicado alertando para uma possível expulsão do Aberto da França e de grandes torneios futuros se ela não mudasse de postura.

Nesta segunda, a número dois do mundo decidiu agir por conta própria para encerrar o impasse.

"Esta não é uma situação que eu imaginei ou pretendi alguma vez quando postei alguns dias atrás. Acho que agora a melhor coisa para o torneio, as outras tenistas e meu bem-estar é que eu me retire para que todos possam voltar a se concentrar no tênis acontecendo em Paris. A verdade é que sofri períodos longos de depressão desde o Aberto dos Estados Unidos de 2018, e tenho tido muita dificuldade de lidar com isso", disse a tenista de 23 anos no Twitter.

Fonte: Agência Brasil