O Juventus já mostrou nas quartas de final do Campeonato Catarinense seu poder de reação. Após perder em casa para o Figueirense, a equipe de Jorginho foi até Florianópolis e goleou o time da capital para se classificar.

Agora, o Moleque Travesso vive uma situação semelhante na semifinal, contra o Brusque. Com a derrota no jogo de ida por 3 a 2, no último domingo (2), o time jaraguaense precisa vencer o rival nesta quarta-feira (5), às 19h, no Augusto Bauer.

O adversário pode ser outro e até mais qualificado em relação ao Figueira nos dias atuais, mas a confiança é grande em uma nova reviravolta no mata-mata. Isso é o que garante o técnico tricolor.

“Estamos do mesmo jeito do que contra o Figueirense. Estamos vivos na partida, e acreditamos que podemos um resultado e a classificação. O Brusque tem um time muito frio, calculista e muito faltoso. Talvez pelo fato de serem muito fortes, fazem muita falta, picam o jogo. Jogam pelo resultado mesmo, não é um time que deixa de jogar, mas eles procuram sempre não deixar o adversário jogar e tem as jogadas deles, onde nós proporcionamos o erro”, afirmou Jorginho.

Lance do jogo de ida | Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Além da desvantagem, o comandante vai ter que quebrar a cabeça para montar o time titular para o duelo decisivo, já que não deve contar com cinco jogadores.

Com as lesões sofridas durante a partida no João Marcatto, o meia Marllon (entorse no tornozelo), e os atacantes Itinga (estiramento na coxa) e Gustavo Poffo (joelho) dificilmente terão condições de estar em campo.

Para piorar, o zagueiro Felipe Gregório e o atacante Fabinho levaram o terceiro cartão amarelo e também serão baixas.

Marllon sendo atendido após sofrer uma entorse no tornozelo esquerdo | Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Mas apesar dos desfalques, Jorginho acredita na força do grupo e destacou o ponto que será fundamental para voltar com um resultado positivo de Brusque.

“Isso é triste, não tem problema perder atletas por cartão, mas por lesão a gente fica triste, pois o atleta faz de tudo para estar bem e acaba vindo a contusão. Mas a vida é assim, temos que ter calma e paciência. Acreditar e ter fé, acreditar nos meninos que irão jogar. Eles irão dar o melhor para o Juventus”, disse.

“É um jogo que não pode errar, o Brusque é um time muito frio e calculista. Jogam junto tem um bom tempo, não se apertam, não ficam nervosos, mas acredito muito no Juventus. Vamos conseguir um bom resultado”, completou.

Para chegar à final inédita em sua história, o Juventus precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença para assegurar vaga direta. Triunfo por um gol leva a decisão para as penalidades.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul