A vitória foi maiúscula e a desvantagem nas quartas de final do Campeonato Catarinense foi invertida, mas o elenco do Juventus não quer saber de festa. Pelo menos, por enquanto.

Após golear o Figueirense por 4 a 1 na noite de quarta-feira (29), em pleno Orlando Scarpelli, o Tricolor conquistou uma classificação histórica à semifinal do Estadual, a qual não disputa há 14 anos.

O técnico Jorginho, porém, colocou freios na empolgação, afinal, a equipe ainda pretende chegar muito longe na competição.

“O sentimento é de felicidade, mas com os pés no chão. Temos que lutar para ir o mais longe possível. A ideia, dedicação e trabalho é para isso”, destacou o treinador, em entrevista ao OCP.

Lance do jogo de quarta-feira (29) | Foto: Cristiano Andujar/Estadão Conteúdo

Segundo Jorginho, a imponente vitória sobre o maior campeão do Estado e a campanha que já está marcada na história do clube jaraguaense é justificada justamente pela humildade e determinação dos jogadores desde o início do trabalho.

“O mérito da equipe é o mesmo desde o dia em que chegamos aqui, que é respeitar o adversário, mas nunca os temer. Temos que nos impor dentro e fora de casa, porque isso faz diferença em um time que quer chegar em algum lugar. Os atletas compraram essa ideia e correspondem isso em campo”, afirmou.

Com a vaga garantida, o Moleque Travesso aguarda o vencedor do confronto entre Brusque e Joinville, que se enfrentam nesta quinta-feira (30), às 18h, no estádio Augusto Bauer.

No primeiro duelo, o Brusque derrotou o JEC por 1 a 0, na Arena Joinville, e joga por um simples empate em casa.

“Vamos aguardar e curtir um pouco essa vitória para depois começar a pensar em treinar e fazer a semifinal para ver até onde podemos chegar”, disse Jorginho.

Trabalho psicológico para se manter no topo

Para chegar a uma semifinal de um campeonato de elite, é preciso muito trabalho dentro de campo, mas também fora dele.

Para Jorginho, a evolução tem que ser constante e o trabalho psicológico será fundamental para equipe continuar atuando no mais alto nível.

“A classificação do jeito que foi contra o Figueirense pode até colocar um salto alto. Não é o que queremos ou desejamos e trabalhamos muito a cabeça do atleta para que isso não ocorra, porque é muito difícil chegar em algum lugar, mas se manter é muito mais difícil”, declarou.

Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

E é com esse pensamento, aliado a dedicação e humildade nos treinos e jogos, que o técnico deseja para continuar levando o Tricolor a voos ainda maiores na competição.

“Não podemos jogar uma partida tão boa contra o Figueirense e depois esquecer e achar que está tudo bom. Pelo contrário. Precisamos refazer algumas coisas, consertar alguns erros que tivemos e melhorar cada dia mais. O que foi feito ontem (quarta-feira), já não pode ser feito hoje para buscar um amanhã ainda melhor. É isso que eu penso e passo aos jogadores”, finalizou.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul