Após denúncias de jovens jogadores do time de vôlei de São José, na Grande Florianópolis, o técnico e árbitro André Testa foi preso por suspeita de estupro de vulnerável e assédio sexual.

O profissional estava sendo investigado desde maio, quando ocorreu a primeira denúncia de uma das vítimas, hoje maior de idade, que teria ocorrido em 2017, quando tinha 15 anos.

“Ele me levou para casa dele e lá começou a passar a mão em mim. Eu não tinha malícia na época, porque tinha muita confiança nele. Era uma pessoa muito persuasiva e acabou abusando de mim. Eu não tava entendendo direito essa situação. Foi a minha primeira vez”, relatou a NSC TV.

A delegada do caso Marcela Goto informou ainda que Testa havia coagido vítimas e testemunhas durante as investigações, chegando a se passar por delegado ao simular um depoimento com um dos atletas para garantir que ele negasse que os abusos ocorreram.

“O suspeito passou a coagir as testemunhas. Inclusive, com uma testemunha, chegou a simular uma situação onde ele seria delegado e passaria a fazer as perguntas. A testemunha deveria responder negando os abusos”, disse.

A Prefeitura de São José afastou o técnico de todas as atividades assim que soube das denúncias. Já a Confederação Brasileira de Volêi (CBV) determinou à Federação Catarinense de Voleibol (FCV) o afastamento imediato de André Testa de todas as funções e suspendeu seu registro na entidade, até que os fatos sejam apurados.