A ex-atleta Milena Silva acusou um dos técnicos da seleção brasileira de base do karatê, Ronier Gonçalves, de ter cometido abuso sexual. Segundo ela, o treinador pedia beijos e chamava as atletas de "gostosas", inclusive menores de idade.

De acordo com o relato, ele "roçava a cabeça no seio das meninas, batia no bumbum delas, chamava de gostosas, comentava sobre a cor dos órgãos genitais dela e sobre seu próprio órgão genital".

Milena também relatou que Ronier invadiu o vestiário enquanto ela se trocava e a teria levado para um motel sem o seu consentimento, além de chamar as meninas em seu quarto para mostrar vídeos em que praticava sexo com outras mulheres.

A ex-atleta já fez dois boletins de ocorrência, enquanto o advogado do técnico, Leandro Velasquez, afirmou que seu cliente vai provar que as acusações são falsas.

A Federação Brasileira de Karatê fez uma publicação nas redes sociais dizendo que está acompanhando as denúncias e que "não compactua com nenhum tipo de discriminação, assédio, racismo ou outros crimes" mas que, "no entanto devemos respeitar os prazos dos trâmites legais para qualquer definição sobre o caso."