Um primeiro tempo perfeito. Com um desempenho espetacular na primeira etapa e uma boa recuperação no quarto período, o Joinville não aceitou o papel de coadjuvante e só cedeu a vitória ao Flamengo nos segundos finais de partida na Arena Carioca. O placar de 76 a 75 mostra o quão emocionante foi a partida que chegou a ter o Joinville com 14 pontos de vantagem.

Em noite inspirada dos irmãos Vezaro, o Joinville deu trabalho e quase arrancou sua segunda vitória no Rio de Janeiro. Um time consistente na defesa, atento aos rebotes e eficiente no ataque. Foi assim que os comandados de Daniel Lazier fizeram uma partida quase impecável, não fosse pelo terceiro período, no qual o Joinville apagou.

Vezarinho foi o cestinha da partida ao lado do flamenguista Deryk, cada um com 15 pontos. A dupla Vezaro combinou para 28 pontos (13 de Felipe Vezaro), 13 rebotes – 7 de Felipe e 6 de Vezarinho – e 6 assistências – 4 de Felipe e 2 de Vezarinho. Além deles, Bambu e Weihermann anotaram 11 pontos cada e Jerônimo 9. Nos rebotes, fundamento que o Joinville dominou na partida, Mathias e Socas ficaram com 9 cada um e Socas ainda deu 6 assistências.

Coletivamente, o Joinville mostra entrosamento, evolução e desenvolvimento com o novo jeito de jogar, mais rápido nas transições e explorando a rotação. O aproveitamento das bolas de três pontos foi superior a 40% e a equipe conseguiu nada menos do que 44 rebotes, sendo 12 deles ofensivos.

O Joinville não se intimidou com a imponência da Arena Carioca e a posse conquistada assim que a bola laranja subiu era um indicativo do que seria o primeiro tempo da equipe. Com um ritmo acelerado, os comandados de Daniel Lazier abriram 7 a 0 pra cima do Flamengo, franco favorito ao título. Com a mão calibrada, Vezarinho, Bambu, Weihermann e Vezaro não desperdiçaram as bolas do perímetro abrindo boa vantagem para o Joinville.

 

Atentos na defesa e efetivos no ataque, os joinvilenses fizeram o rubro negro se encolher e a arena só incendiou com a entrada de Nesbitt, que levantou a torcida em bela cravada. Mas não foi suficiente para segurar o Joinville. Com um aproveitamento de 50% nas bolas de três pontos e 13 rebotes só no primeiro período, o Joinville fechou o primeiro período com 10 pontos de vantagem: 12 a 22.

Se o Flamengo inaugurou o placar no segundo quarto, o Joinville não demorou para responder e foi logo com uma bela bola de três pontos de Bambu e uma bonita cravada de Mathias na sequência. Sem deixar o ritmo cair, Joinville manteve a vantagem na casa dos dois dígitos com um ótimo aproveitamento nas bolas de três, contando com uma noite inspirada de Vezarinho que estava com a mão calibrada para as bolas do perímetro e muita agilidade na movimentação.

Vezarinho foi um dos cestinhas da partida com 15 pontos | Foto: Gilvan de Souza

Rodando muito bem a bola, a equipe conseguia ser eficiente no ataque e sólida na defesa, buscando os rebotes e neutralizando qualquer tentativa do Flamengo. Saindo do banco, Jerônimo entrou aproveitando os rebotes e anotando oito pontos em oito minutos em quadra. No segundo período, a equipe seguiu com um belo aproveitamento nas bolas de longa distância. A defesa atenta deu velocidade ao ataque e o resultado foi a manutenção da vantagem e indo ao intervalo com 9 pontos de frente, vencendo por 38 a 47.

 

O Joinville fez um primeiro tempo praticamente perfeito, mas o terceiro período foi antagônico. Apático, sem conseguir concluir o ataque, sofrendo com a forte marcação do Flamengo, a equipe pecou e viu a vantagem cair jogada após jogada. O rubro negro, por outro lado, voltou completamente diferente, bem posicionado na defesa e efetivo no ataque. Os primeiros pontos do Joinville só saíram aos quatro minutos de jogo em cobrança de lance livre e o Flamengo não desperdiçou a chance, empatou e, pela primeira vez na partida, tomou a dianteira aos seis minutos do terceiro período, mantendo a vantagem até o final do quarto: 60 x 58.

A volta para o último período novamente trouxe mudanças para o Joinville, que poupou seu quinteto titular durante boa parte do terceiro quarto. Novamente com os cinco em quadra, o Joinville voltou melhor e retomou a frente com bela bola de três de Vezaro, que liderou a equipe durante a partida. Quem estava com a mão calibrada também era Weihermann, que como já é de praxe, foi eficiente nas bolas de longa distância. Com emoção até o final, Davi colocou o Flamengo na frente restando 5 segundos de jogo, com um bonito arremesso do perímetro.

O comandante tricolor pediu tempo para desenhar a jogada final do Joinville e, com cinco segundos no relógio, e uma defesa imponente vermelha e preta postada no garrafão, restou ao pivô Mathias a tentativa para a bola de três pontos que garantiria a vitória. E ela não caiu, para alívio da torcida e do time do Flamengo.

 

Destaque da partida e líder da equipe, Felipe Vezaro destacou que não há surpresa no bom desempenho da equipe, que tem trabalhado forte, especialmente após a chegada do técnico Daniel Lazier, que já alterou o estilo de jogo, com maior movimentação no ataque e velocidade na transição de jogadas. “Temos um time jovem e precisamos aproveitar a velocidade. Melhoramos muito nos rebotes e foi um dos grandes fatores que nos fez ficar parelhos no jogo até o final. Hoje eles tiveram uma partida ruim, mas não porque quiseram, mas porque nós proporcionamos uma defesa muito forte”, destacou ao final da partida.

O Joinville segue sua pequena temporada no Rio de Janeiro e volta à quadra na próxima sexta-feira (19), quando enfrenta o Vasco, às 19h.

--

Quer receber as notícias no WhatsApp?