O sol escaldante de verão mudou rapidamente para um forte temporal no dia 1º de janeiro de 1919. Os jogadores precisaram sair rapidamente do campo, se abrigaram em um rancho de João Ropelato e ali tentaram dar nome ao seu novo time. Cristalina, Guaricana e Retorcida - nome do bairro Nereu Ramos na época - foram algumas sugestões.

Mas ao anoitecer, o céu estrelado serviu como incentivo para o nome da equipe que marcaria história na localidade: Sport Club Estrella, que no primeiro dia de 2019 completou 100 anos trazendo alegrias e conquistas, não só para o bairro, mas para Jaraguá do Sul.

Time do Estrella na década de 1920 | Foto Arquivo Pessoal

Atualmente a diretoria atual busca recursos para manter o Estrella ativo, não como time de futebol, mas com eventos, como feijoada e festivais, para poder permanecer de portas abertas em Nereu Ramos. Os trabalhos na base também acontecem ao longo.

Mesmo sem disputar mais campeonatos oficiais, o peso do time segue reverberando na história do esporte jaraguaense.

A parceria centenária entre o Estrella e o jornal O Correio do Povo começou em dezembro de 1923, quando pela primeira vez, o veículo de comunicação trazia um cobertura jornalística na íntegra de um jogo de futebol. Naquele dia, o time de Retorcida venceu a partida por dois a um.

Na época, o Estrella era mais conhecido como os "alvi-celeste", fazendo alusão as cores do time - o branco e azul da seleção italiana de futebol. Mas durante a Segunda Guerra Mundial, eles foram obrigados a deixar o azul, pela referência a Itália. E desde então, o vermelho e branco se tornaram as cores da casa.

Liga Jaraguaense de Futebol

A fundação da Liga Jaraguaense de Futebol, em 1952, acendeu uma rivalidade histórica entre o Clube Atlético Baependi e o Estrella. Na época, enfrentar o poderio econômico e a influência política do "time da cidade" era colocado como um grande desafio para os "filhos de uma pequena comunidade italiana".

O ápice da rivalidade aconteceu no ano de 1956. O Baependi vinha de três títulos consecutivos, mas estava à beira de perder o campeonato em um empate sem gols contra o Estrella, jogando em seus domínios.

Time do Estrella que conquistou o primeiro título da Liga Jaraguaense, em 1957 | Foto Arquivo Pessoal

Faltando poucos minutos para o fim da partida, o arbitro assinalou uma penalidade para os mandantes. O tempo fechou, uma briga generalizada se formou e a partida foi suspensa. O jogo foi marcado para outra data, o pênalti foi convertido e o Baependi saiu vitorioso.

Foram inúmeros embates entre os times, que até hoje rendem uma boa discussão. Após quatro títulos consecutivos do Baependi, o Estrella soltou o grito de campeão em 1957.

Saindo das fronteiras municipal

Na década de 1960, o destaque ficou pela participação do Estrella, na fase regional do Campeonato Catarinense, nas temporadas de 1962 e 1964, onde veio vitórias expressivas sobre Carlos Renaux e Olimpico e Guarani.

A década de 1970 foi, certamente, a mais emblemática para a "squadra rosso-bianca". Além de marcar a inauguração da atual sede, a época contou com títulos dos campeonatos da Liga Jaraguaense em 1973 e do tricampeonato em 77, 78 e 79. Mas o maior feito histórico foi o título do III Norte Catarinense.

Equipe campeã da Liga Jaraguaense de Futebol em 1973 | Foto Arquivo Pessoal

Mudanças de terreno

Das terras de João Ropelato, o campo mudou para o terreno que hoje pertence a Luiz Gadotti. Alguns anos depois, em 1932, a nova mudança foi para as terras de Domingos Murara, onde se localiza atualmente a Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário.

Em 1948, o time do Estrella foi para a propriedade de Hilário Moretti e Dionísio Tambosi, sendo finalmente adquirido o terreno de Antonio Demathe em 1970, local da atual sede do Estrella, na rua Julio Tissi, no bairro Nereu Ramos.

Histórias são resgatadas na praça

Os antigos membros do Estrella Futebol Clube costumam sentar na praça central de Nereu Ramos e ali o futebol vira o assunto principal que faz a conversa se arrastar por horas. As décadas de 1960 e 1970 ficaram marcadas na memória de Juvenal Schiochet, 75 anos.

“Nós disputávamos o campeonato municipal e conseguia encher um, dois ônibus, caminhão e mais algumas coisas”, lembra.

O time foi além das fronteiras do bairro e do município para disputar o Campeonato Norte Catarinense. Enquanto busca as lembranças do passado, os olhos de Juvenal chegam brilhar e com um sorriso no rosto ele demonstra o orgulho de sua conquista em Joinville.

"Foi em 1979, empatamos com a Tupy lá no estádio deles e trouxemos o título pra terrinha", ressalta.

A paixão pelo clube fez Márcio Luiz Schiochet, 52 anos, sobrinho de Juvenau, a ficar 10 dias pesquisando jornais antigos do O Correio do Povo e fazer um artigo contando a história da equipe aos olhos do OCP.

"Sinto orgulhoso de fazer parte da quarta geração que vestiu o branco-vermelho do Estrellinha", comenta.

Diretoria atual:

Presidente: Ivan Carlos Moretti
Vice-Presidente: Peterson Zanghelini
1º. Secretário: Júlio César Demathê
2º. Secretário: Sérgio Micheluzzi
1º. Tesoureiro: Rodrigo Miguel Garcia
2º. Tesoureiro: Luiz Gilmar Rostofe dos Santos
Diretor Esportivo: Lorival Dionísio Demathê
Diretor Social: Moacir Carlos Zimmermann


Quer receber as notícias no WhatsApp?