O amor por um clube leva torcedores a fazerem verdadeiras loucuras pelo seu time do coração. Fanático pelo Boca Juniors, Leandro Fortunato é uma grande prova disso.

Sem dinheiro para ônibus ou avião, o argentino percorreu a pé mais de 2.500 km e, 28 dias depois, chegou ao Rio de Janeiro, onde o Boca enfrenta o Fluminense neste sábado (4), às 17h, pela final da Libertadores.

Mas não parou por aí. O torcedor encarou todo esse trajeto sem ter ingresso para decisão no Maracanã.

"Não tenho ingresso. Há promessas de que irão conseguir para mim, mas até o momento eu não tenho", afirmou.

Leandro Fortunato ainda relatou diversos perrengues enfrentados pelo caminho. Se formos contar os dias que caminhei na Argentina antes do Boca chegar na final, são 28 dias. Caronas foram cerca de 400 quilômetros. Foram três caronas que eu peguei. Algumas por questão da inundação, do clima, eu não tinha saída. Então passava o motorista, freava e eu pegava a carona”, contou.

Em uma rede social, ele também relatou que teve problemas por conta do mau tempo, que quase o fizeram desistir por conta de febre e tosse.

“Os torcedores me ajudaram muitíssimo. A verdade é que eu não estaria aqui se não fosse pelos torcedores. Pensei muitas vezes em desistir, mas vim por todas as pessoas que me apoiaram, que doaram dinheiro, por mais que alguns tenham doado apenas um centavo, mas eu sentia que por eles eu tinha que estar aqui. Eu tinha que cumprir a missão por eles mais que por mim. Foi uma viagem para relaxar a mente, a alma, o coração. É tudo pelo Boca e para vê-lo na final”, declarou.

O torcedor xeneize ainda disse que o casamento quase acabou, mas conseguiu fazer as pazes com a companheira.

“Cheguei em Carazinho e recebi uma má notícia. Minha esposa me bloqueou no Instagram, Facebook e WhatsApp. "Foram coisas que eu não deveria ter dito. Agora estamos falando, falo com minha filha todos os dias. Me equivoquei, confundi as coisas e somente isso, mas já está resolvido", disse.