O grande desejo de todo menino que sonha seguir carreira de jogador de futebol é ir para Europa. E uma jovem promessa de Schroeder está contando os dias para dar o primeiro passo nessa ambição.

Aos 18 anos, Marco Antônio Tomaselli embarca neste domingo (23) para Itália, onde vai encarar uma experiência inicial de três meses no país.

A viagem que era para ter acontecido em fevereiro, mas precisou ser adiada por conta da pandemia do novo coronavírus, é aguardada pelo atleta desde 2018, quando fez um intercâmbio de uma semana em terras italianas.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Por lá, pôde vivenciar em quatro clubes uma metodologia bem diferente do habitual, com muitos trabalhos de repetição em cima das carências e deficiências técnicas e táticas de cada jogador.

O sistema impressionou o schroedense, que encontrou dificuldades para se adaptar ao modelo desconhecido, mas acabou chamando atenção pelo talento.

Foram dois anos de espera, até que a nova oportunidade apareceu. Mais maduro dentro e fora de campo, Marco foi selecionado para passar um período maior no país europeu, agora de 90 dias, no clube A.S.D Rotonda Calcio, da cidade de Potenza.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Caso agrade nas avaliações, o vínculo de teste pode se transformar em um contrato profissional, com duração de até três anos com a equipe, que é conhecida por revelar bons talentos e disputa as Séries D e C do Campeonato Italiano.

“Meu primeiro objetivo é me firmar em algum clube, porque quero o futebol como minha profissão e evoluir sempre como jogador. Estou muito feliz por ter essa oportunidade, é uma conquista. Me dedico muito e vou colher tudo que a gente plantou”, destaca.

História no futebol e adaptação ao novo país

A bola sempre foi o brinquedo favorito de Marco, que pegou gosto pelo futebol ainda muito pequeno por influência do irmão, seu companheiro de brincadeiras, e do pai, apaixonado pelo esporte.

Aos 8 anos, entrou na primeira escolinha, e, entre futsal e futebol, passou pelo Atlético Jaraguá, Jangada, base do futsal jaraguaense e Gol de Letra, de Schroeder, até chegar ao Bom de Bola, de Jaraguá do Sul, em 2016.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Lapidado pelo professor Paulo Peters, ganhou destaque entre as categorias Sub-14 e Sub-18, a ponto de ser levado para o intercâmbio em 2018 na Itália e agora recebendo uma nova oportunidade no país.

O interesse foi despertado não só pelo talento, mas também por suas características físicas e a facilidade por jogar em posições diferentes como lateral, zagueiro e volante, visto como fundamental para ter sucesso na Europa.

“Talvez tenha um pouco de dificuldade no início pela língua e por morar em outro país, mas não é algo que me preocupa tanto. Acredito que possa me adaptar rápido até pelo estilo de jogo na Itália que é muito físico”, declara.

Para ajudar ainda mais nessa adaptação, o schroedense dividirá apartamento e terá acompanhamento constante de Renê Soares Ortega, jogador profissional de 32 anos, que vive há mais de uma década na Itália.

Chegando no país, ele cumprirá o protocolo de quarentena para depois iniciar os treinos e buscar afirmação no Rotonda Calcio.

Orgulho aos pais e professor

A distância será grande e a saudade maior ainda, mas ao ver Marco seguindo seu sonho com muita determinação, os pais do menino se enchem de orgulho.

Fãs número 1 do jogador, a mãe Marilei Lenzi Tomasellli, de 47 anos, e o pai César Luis Tomaselli, 50, sempre deram apoio irrestrito ao filho quando o assunto se volta aos desejos do filho, sobretudo, no futebol.

Marco ao lado dos pais César e Marilei | Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Parceiros em treinos, jogos e viagens, os familiares foram os primeiros a incentivá-lo a buscar o sucesso na Itália. Também pudera. Tudo aquilo que, durante anos, foi sonhado, aos poucos, com muita dedicação e determinação, começa a ser colhido.

“Damos muito apoio e incentivo a ele. Isso é importante para que ele evolua e busque seus sonhos. Muitos pais acabam desmotivando os filhos com algumas atitudes e nós não queremos isso. Buscamos sempre dar apoio e conselhos no que ele precisa. Ele já é um menino bem maduro, responsável e vai crescer ainda mais”, comenta a mãe Marilei.

Quem também se orgulha do garoto é o professor Paulo Peters. Principal responsável por lapidar o jogador nos últimos quatro anos, o treinador da Escolinha Bom de Bola vê no aluno características que podem fazer a diferença em sua trajetória nos gramados.

“Os clubes estão carentes de atletas perfeccionistas, que tem vontade, serenidade e que não desanima. O Marco é um menino que tem isso dentro dele. A ida para Itália vai fazer com que ele evolua ainda mais, com um retorno voltado para o profissional. Então é muito gratificante ver um aluno dando esse passo importante no seu sonho”, afirma.

Paulo Peters (D) acompanha o pupilo desde 2016 | Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul