Com o objetivo de dar mais flexibilidade aos árbitros e evitar que jogadores e times sejam punidos pela rigorosidade, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, pediu à Fifa para alterar a regra de mão na bola.

O dirigente quer que o órgão máximo do futebol considere permitir que os árbitros voltem a determinar se um jogador agiu intencionalmente ou não.

“A tentativa de definir estritamente os casos em que a bola toca na mão é um crime e resultou em muitas decisões injustas que foram recebidas com crescente frustração e desconforto pela comunidade do futebol”, disse Ceferin.

Segundo ele, a nova regra - alterada em março de 2019 - faz com que gols legais sejam anulados por toques acidentais e o desejo é que ela seja modificada no início de 2021.

“Não há vergonha em admitir que, às vezes, as decisões que são feitas para o bem não atingem seus objetivos e devem ser revistas. Fazer isso certamente não prejudicaria os altos méritos e a credibilidade da IFAB”, finalizou o presidente da Uefa.

 

Telegram Jaraguá do Sul