Após o novo coronavírus ganhar força pelo Brasil, os principais eventos esportivos pelo país vão precisar de uma grande readaptação ao final da pandemia.

E é justamente isso que vai acontecer na 60ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), a competição mais aguardada do Estado, que está marcada para o mês de novembro, em Jaraguá do Sul.

Em entrevista ao OCP, o presidente da Fesporte, Rui Godinho, deixou claro que o Jasc vai sofrer mudanças. O cancelamento, entretanto, é totalmente rechaçado pela organização.

Rui Godinho, presidente da Fesporte | Foto Arquivo Pessoal

Com o calendário muito prejudicado pela pandemia, Godinho afirmou que o ano será atípico para o esporte catarinense e até o final de abril será apresentado um novo projeto de calendário.

Isso inclui algumas alterações no Jasc, com a diminuição de datas – no momento está marcado entre 19 e 30 de novembro -, e fórmula de disputa das modalidades mais curtas.

“Este o momento fez com que tivéssemos criatividade para apresentarmos inovações. O formato dos jogos serão mais rápidos, leves, com grande economia para o Estado e consequentemente para os municípios. Estamos em fase final de tratativas e elaboração desse projeto”, declarou Godinho.

Foto Antonio Prado/Fesporte

Apesar das iminentes mudanças, o presidente da Fesporte fez questão de frisar que cancelar o maior evento do esporte catarinense ainda não é uma possibilidade vislumbrada.

“A princípio os jogos não serão cancelados. Mas, as mudanças para que este aconteça serão bruscas. É o momento em que pesamos algumas prioridades e o resultado será benéfico para os atletas, técnicos, municípios e para o Estado”, finalizou.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger