Por doping sanguíneo, ciclista olímpico é condenado a dois anos de prisão

Stefan Denilf fazia parte da rede de doping sanguíneo comandado por médico alemão | Foto: Tim de Waele/Corbis via Getty Images Stefan Denilf fazia parte da rede de doping sanguíneo comandado por médico alemão | Foto: Tim de Waele/Corbis via Getty Images

Esporte

Por: Lucas Pavin

quarta-feira, 07:24 - 13/01/2021

Lucas Pavin

Nesta quarta-feira (13), o ciclista Stefan Denifl foi condenado a dois anos de prisão nesta quarta-feira por fraude comercial grave e multa de quase R$2,3 milhões pela participação no escândalo de doping sanguíneo revelado na "Operação Aderlass".

Integrante da seleção da Áustria nas Olimpíadas do Rio, admitiu doping durante as audiências judiciais em 2020, mas negou as alegações de fraude.

O austríaco admitiu que pedia cinco mil euros pelas amostras de sangue e pelas operações de injeções repetidas, e que recebia bônus quando atletas venciam corridas ou medalhas.

Os esquiadores Max Hauke ​​e Dominik Baldauf, e o ciclista Georg Preidler também foram presos.

A rede de doping por via sanguínea foi criada pelo médico alemão Mark Schmidt, que dopava atletas de elite desde 2012.

Schmidt negociava com seus clientes através de um chip de telefone da Eslovênia e exigia pagamento em dinheiro vivo.

Acredita-se que pelo menos 23 atletas estejam envolvidos na rede de doping sanguíneo na Alemanha e na Áustria.

Fonte: GE

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

×