O Figueirense vive sua melhor fase dentro da Série B e um de seus piores momentos fora de campo. Se na disputa do Campeonato Brasileiros os jogadores dão mostras de determinação e comprometimento, na parte administrativa os dirigentes são cobrados por atrasos de salários e vivem o drama de ver o time correr o risco de perder pontos por não honrar seus compromissos.

No último sábado, na retomada da Série B após a paralisação para a Copa América, o time de Florianópolis foi a Belo Horizonte e venceu o América-MG por 4x0. O surpreendente resultado colocou o Alvinegro na sétima colocação, a um ponto do grupo que se classifica para a Série A em 2020. Mas a torcida nem teve tempo para comemorar.

Na segunda-feira (15) e na terça-feira (16), em protesto pelo atraso de salários, os jogadores se recusaram a treinar. Se reuniram com o técnico Hemerson Maria, explicaram suas posições e pediram uma conversa com o presidente Claudio Honigman, exigindo explicações. Os atletas cobram, ainda, que os salários dos funcionários do clube e dos atletas das categorias de base também sejam colocados em dia. O encontro ainda não aconteceu.

Técnico Hemerson Maria não conseguiu preparar a equipe esta semana | Foto Patrick Floriani/Figueirense FC

MPT e STJD notificam o clube

Para piorar, o Ministério Público do Trabalho emitiu uma notícia de infraçáo ao clube por atrasos salários desde 2015 de 105 funcionários. Nesta terça-feira o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) também exigiu a regularização da situação e deu o prazo de 15 dias para que as pendências trabalhistas sejam quitadas.

De acordo com a notificação do procurador do STJD, Felipe Bevilacqua, o clube tem três dias para apresentar solução em audiência trabalhista. Caso não regularize a situação, corre risco de perder pontos na Série B, dentro das regras do fair play financeiro.

O clube anunciou no final desta terça-feira que os salários de vinculados à CLT foram pagos – jogador de futebol recebe parte de suas remunerações via carteira e outra parte via direito de imagens, que não está na carteira.

Nesta sexta-feira (19), o Figueirense volta a campo, desta vez no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, contra o Londrina, às 19h15min. A expectativa da torcida é de que os dirigentes cumpram suas obrigações e que mire no exemplo dos jogadores para deixar o ambiente tranquilo dentro e fora de campo.

Quer receber as notícias no WhatsApp?