As Olímpiadas encerraram no último domingo (21) e a cidade do Rio de Janeiro ajusta agora os últimos detalhes para receber a 15ª edição dos Jogos Paralímpicos, que acontece entre os dias 7 e 18 de setembro. Natural de Florianópolis, mas radicado em Jaraguá do Sul há dois anos, Ricardo Pimentel foi convocado e irá representar o município como técnico do tênis em cadeira de rodas. Com formação e mestrado em Educação Física na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o profissional de 41 anos atua como treinador da modalidade há 20 anos e desde 2010 é coordenador de um projeto da UFSC, em parceria com a Federação Catarinense de Tênis (FCT), que tem o objetivo de integrar o deficiente físico à sociedade através do tênis em cadeira de rodas. Além disso, Pimentel trabalhou durante um ano e meio na Fundação Municipal de Esportes e Turismo, cuidando do paradesporto municipal e da abertura de seu próprio negócio, o espaço Pimentinha, focado no desenvolvimento infantil. Com a abertura das Paralímpiadas se aproximando, ele destacou a oportunidade como a realização de um sonho, após tantos anos dedicados ao paradesporto. “Essa será é minha primeira Paralímpiada e estou vivendo um sonho. Para quem vive do esporte e ter a chance de representar o país em uma competição desta grandiosidade é uma sensação única. É incrível para toda a equipe e todos estão muito ansiosos para que comece logo os Jogos”, disse. O tênis brasileiro será composto por oito atletas, sendo quatro no masculino, dois no feminino e outros dois no quad, categoria destinada aos competidores com maior limitação física. A equipe iniciou a preparação no dia 21 de agosto, em São Paulo, onde permanece até o dia 1º de setembro, quando viaja para a capital carioca. “Temos dois jogadores que estão indo para quarta Paralímpiada, mas a ideia é fazer uma renovação da equipe. Esta será a edição com o maior número de jogadores brasileiros nos Jogos e a expectativa é obter o melhor resultado da história”, finalizou Pimentel.