Um torcedor fanático do Flamengo fez uma “loucura” para demonstrar sua paixão pelo clube. Sem o consentimento da esposa, Gênesis Braga da Silva, de Manaus, batizou o filho de Gabriel Henrique Arrascaeta Chagas da Silva, em homenagem ao trio de ataque do rubro-negro.

“No começo foi difícil convencer minha esposa porque ela não queria Arrascaeta, ela achava que era meio feio e não conhecia o jogador. Aí eu mostrei para ela quem era o jogador, mostrei os gols que ele fazia e disse que eu gostava muito. Até que a maternidade toda soube que ia ser Arrascaeta, todo mundo ficou falando, foi aquele alvoroço”, disse ao ge.com.

"Aí ela teve que ceder um pouco. Eu fui no cartório e já voltei com ele registrado como Arrascaeta. Ela não pôde fazer mais nada. Para convencê-la, mostrei o primeiro gol da final da Libertadores de 2019. Ela assistiu comigo, mas depois aceitou. Agora a gente só chama ela de Arrasca”, completou.

Certidão de nascimento do menino | Foto: Reprodução

Porém, o nome ainda não foi bem aceito pela mãe Fernanda de Medeiros Chagas.

“Por mais que eu fosse escolher o nome da menina, eu idealizei Bruno Henrique ou Gabriel Henrique. Não passava na minha cabeça esse Arrascaeta, nunca. Para mim é um nome estranho. Eu disse: “Meu Deus, eu não acredito que você vai fazer isso, essa criança pode sofrer bullying”. Já pensou quando ele estiver adolescente, chamarem ele para jogar bola? Não vão chamá-lo de Gabriel, mas de Arrasca”, disse.

“Tinha acabado de levantar da cama, porque a gente fica 12 horas de repouso após a cesárea, sem poder se mexer. Quando ele veio e disse: "Eu vou lá registrar". Eu falei: "Não faça isso". Eu não acreditei que ele ia ter essa coragem, porque com o nome muito grande a criança tem uma certa dificuldade de escrever esse nome. Mas quem vai ensinar meu filho a escrever o nome vai ser o pai. Vai ter que ter o trabalho”, completou.

Fernanda ainda brincou que ameaçou ir embora com o filho quando soube do nome de registro.

Eu falei: "Se você fizer isso, eu vou levar ele embora. Eu vou embora com ele, e você nunca vai ter o prazer de chamá-lo de Arrasca. Disse que ia trocar o nome dele, mas está aqui, pode mais fazer nada. Quem sabe até a adolescência dele eu já tenho aceitado. Por enquanto estou digerindo tudo isso”, finalizou.