Operação contra manipulação no futebol brasileiro tem novos jogos suspeitos, veja quais são

Foto: Divulgação MP/GO

Por: Lucas Pavin

28/11/2023 - 16:11 - Atualizada em: 28/11/2023 - 16:56

Nesta terça-feira (28), o Ministério Público de Goiás iniciou a terceira fase da Operação Penalidade Máxima, que investiga manipulação de jogos no futebol brasileiro.

Foram dez mandados de busca e apreensão cumpridos nas cidades de Goiânia (GO), Bataguassu (MS), Campina Grande (PB), Nilópolis (RJ), Santana do Parnaíba (SP), São Paulo (SP), Volta Redonda (RJ) e Votuporanga (SP), mas não houve prisões.

Ao todo, sete partidas são alvo da investigação. Confira abaixo:

  • Flamengo 1 x 2 Avaí – Brasileirão Série A em 2022
  • Náutico 1 x 3 Sampaio Corrêa – Brasileirão Série B em 2022
  • Criciúma 2 x 1 Náutico – Brasileirão Série B em 2022
  • Goiânia 2 x 1 Aparecidense – Campeonato Goiano em 2023
  • Goiás 2 x 0 Goiânia – Campeonato Goiano em 2023
  • Nacional 2 x 1 Auto Esporte – Campeonato Paraibano em 2023
  • Sousa 4 x 0 Auto Esporte – Campeonato Paraibano em 2023

A operação desta terça é um desdobramento das Operações Penalidade Máxima I e II, deflagradas em fevereiro e abril de 2023, respectivamente, que teve 32 pessoas acusadas de crimes de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo, e 12 jogadores punidos.

  • Ygor Catatau (banido)
  • Matheus Gomes (banido)
  • Gabriel Tota (banido)
  • Eduardo Bauermann (360 dias)
  • Alef Manga (360 dias)
  • Paulo Sérgio (600 dias)
  • Paulo Miranda (720 dias)
  • Fernando Neto (360 dias)
  • Mateusinho (600 dias)
  • André Luiz (600 dias)
  • Moraes (720 dias)
  • Kevin Lomónaco (360 dias)