Candidato a uma medalha no arremesso de peso, Darlan Romani ficou perto de subir ao pódio nas Olimpíadas de Tóquio, mas se despediu da modalidade nesta quinta-feira (5), com um quarto lugar.

Com a marca de 21m88, ele ficou a 59 centímetros da medalha de bronze, que ficou com o neo-zelandês Thomas Walsh com 22m47.

Ao final da prova, o catarinense de Concórdia chorou ao falar das dificuldades que passou recentemente e do sonho da medalha ter que ser adiado mais uma vez.

“Mais uma vez a história se repete. Os meninos estão de parabéns. Crouser mais uma vez com 23 metros. Os caras são bons, não tem muito o que falar. Foi uma excelente competição. Acredito que poderia ter arremessado mais. Tenho que parar para analisar (...). A pandemia complicou tudo. Ano passado a gente vinha treinando forte. Entrou a pandemia, tudo que aconteceu, a cirurgia, Covid. Enfim... É difícil falar. Só quero agradecer a torcida de todos. Mais uma vez sou quarto, mas não quero mais isso na minha vida. Tem um novo ciclo, dessa vez mais curto. Se eu dava 200%, agora vou dar 300%. Obrigado Brasil”, disse.

Romani foi quinto colocado nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, campeão dos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019, mesmo ano em que ficou em quarto lugar no Campeonato Mundial.