Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters
Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

A comissão disciplinar da Liga de Futebol Profissional da França (LFP) não puniu Neymar, do PSG, e Álvaro González, do Olympique de Marselha, após acusações de racismo durante o clássico do último dia 13 de setembro.

O brasileiro afirmou que o adversário o chamou de “macaco” em uma discussão entre ambos no segundo tempo.

"Após examinar os arquivos, ouvir os jogadores e os representantes dos clubes, a comissão afirma que não foram encontradas evidências suficientes que permita estabelecer a materialidade dos fatos de discriminação feitos pelo jogador Álvaro González contra Neymar durante o encontro bem de Neymar contra Álvaro González", disse a LFP em nota.

"Consequentemente, a comissão decidiu que não há razão para punição", finalizou.

Jogadores discutindo durante a partida | Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Com a decisão, González agradeceu nas redes sociais o apoio dos dirigentes e torcedores, e voltou a afirmar que nunca foi racista.

“Esse pesadelo é, em parte, recompensado com uma sentença mais que merecida. Nunca fui e nem serei uma pessoa racista. Um muito obrigado ao Marselha pela confiança e lealdade, e também aos nossos torcedores por todo o carinho. Nos vemos no campo”, disse o jogador.

Neymar ainda não se manifestou sobre a decisão.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul