Mathias foi referência e terminou a partida com duplo-duplo | Foto: Divulgação/LNB

Mathias foi referência e terminou a partida com duplo-duplo | Foto: Divulgação/LNB

A maratona de jogos fora de casa não começou bem para o Basquete Joinville. Na noite desta quinta-feira (6), a equipe comandada por Daniel Lazier foi derrotada pelo Mogi, em Mogi das Cruzes, por 81 a 67. A partida que marcou o retorno do ala Maxwell, foi marcada também por um primeiro tempo irreconhecível da equipe joinvilense. Com uma defesa inconsistente, o Joinville viu o Mogi construir a vitória ainda no primeiro tempo.

A partida começou intensa, veloz, com as duas equipes muito ofensivas, trabalhando muito bem a bola e buscando o melhor arremesso, além de apostar em boas infiltrações. A promessa, no início do primeiro período, era de um jogo disputado sem grande diferença no placar. Mas, a equipe da casa tinha outros planos e aos cinco minutos, quando Daniel Lazier começou sua tradicional rotação, a equipe estava com 5 pontos à frente.

O esperado retorno de Maxwell aconteceu já no primeiro quarto, mas o ala não conseguiu minimizar a boa partida mogiana. Sem manter a já conhecida eficiência e solidez defensiva, o Joinville também pecava no ataque e teve uma longa sequência sem fazer a bola cair. O aproveitamento de uma de suas principais armas até aqui, as bolas de longa distância não estavam caindo. Das nove tentativas, apenas duas caíram e o aproveitamento de 22% não ajudou a equipe a manter o equilíbrio da partida. Os donos da casa aproveitaram e abriram nove pontos de vantagem já no primeiro período, fechando em 24 a 15.

O segundo período foi ainda pior para a equipe joinvilense. Com muitos erros de passe na entrada do garrafão, os comandados de Lazier cediam bons contra-ataques para Mogi, além de dar muito espaço para arremessos do perímetro sem conseguir chegar inteiro na defesa. Aproveitando a noite ruim de Joinville, Mogi foi aumentando a vantagem. Já pelo lado mogiano, a defesa muito bem postada impedia os arremessos de fora e quando os jogadores joinvilenses conseguiam infiltrar paravam na boa marcação dos pivôs.

No segundo período, as mãos descalibradas dos joinvilenses refletiram nas estatísticas e na boa vantagem dos donos da casa. Foram cinco tentativas para três pontos e nenhuma caiu. Com um baixo aproveitamento e uma defesa irreconhecível do Joinville, o Mogi aproveitou e ampliou a vantagem indo para o vestiário com 18 de vantagem e um placar de 42 a 24.

A bronca de Daniel Lazier no vestiário deve ter sido das boas porque o efeito foi visto em quadra. Apesar de os primeiros pontos do terceiro período demorarem quase três minutos, a equipe voltou melhor, trabalhando melhor a bola e com mais consistência defensiva. Apesar disso, o Mogi não deixava a equipe catarinense encostar no placar.

A vantagem, que era de 18 pontos, caiu para 12 pontos e o Mogi viu a vitória do Joinville no período graças ao bom desempenho da segunda unidade joinvilense, com Dieguinho, Vezarinho, Weihermann, Colimério e Rosniak.

Embalado, o Joinville só tinha mais 10 minutos para tentar a virada e tinha em Mathias, seu ponto de referência na partida. A vantagem despencou e chegou a ser de sete pontos na metade do quarto, mas o Mogi contou com a força de jogar em casa para manter o ritmo e conseguir a vitória. Lessa, em bela bola de longa distância encaminhou o placar. Depois do lance, o Mogi ficou “on fire” e viu ainda Arthur Pecos sacramentar a vitória por 81 a 67.

Cestinha da partida, Batista anotou 23 pontos, somando ainda 6 rebotes. Destaque do Mogi, Arthur Pecos garantiu o duplo-duplo e chegou a flertar com o triplo-duplo, garantindo 15 pontos, 10 rebotes e 8 assistências.

Se teve duplo-duplo pelo lado mogiano, também teve em Joinville. Referência na noite desta quinta-feira, Mathias terminou a partida com 19 pontos e 11 rebotes.

O Joinville retorna à quadra no próximo sábado (8), quando enfrenta o São José.

--

Quer receber as notícias no WhatsApp?