Jaraguá do Sul é muito bem representada quando o assunto é bola em campo. Seja natural ou radicado, a cidade contou com inúmeros jogadores de qualidade no futebol em suas mais diferentes épocas.

Como não lembrar do goleiro Eduardo Roberto Stinghen, o Ado, campeão da Copa do Mundo de 1970 com a seleção brasileira? Ou não se orgulhar com a carreira do lateral-esquerdo Filipe Luís, um dos melhores da posição nos dias de hoje e que esteve no Mundial deste ano, na Rússia?

Enfim, são anos e anos revelando bons nomes ao esporte mais praticado no país, com atletas ainda em atividade ou já aposentados, que foram criados em Jaraguá do Sul ou escolheram a cidade para passar um longo período da vida.

Pensando nisso, escalamos um time titular com nomes que marcaram história para o futebol local, considerando a importância de determinado jogador, qualidade técnica e sua ligação com a cidade.

Confira a escalação

Goleiro

Eduardo Roberto Stinghen, ‘Ado’: Hoje aos 72 anos, Ado foi o primeiro jaraguaense a disputar uma Copa do Mundo. Ao lado de ídolos do futebol nacional, como Pelé, ele foi tricampeão com a seleção brasileira, em 1970.

O goleiro ainda atuou por clubes como Corinthians, Atlético-MG, América (RJ), Portuguesa (SP), Fortaleza (CE) e Londrina (PR). Depois do futebol, tornou-se empresário e se aposentou há dois anos, residindo em São Paulo.

Conhecido como 'galã' da seleção de 70, Ado foi reserva do goleiro Felix | Foto Divulgação

Laterais

Filipe Luís Kasmirski: Após toda sua infância vivida em Jaraguá do Sul, onde teve uma iniciação no futsal, Filipe Luís se tornou o principal jogador na história do futebol da cidade.

Revelado no Figueirense, o lateral-esquerdo foi para Europa e fez seu nome no esporte ao atuar por Ajax-HOL, Real Madrid Castilla-ESP, Deportivo La Coruña-ESP, Chelsea-ING e Atlético de Madrid-ESP, clube que defende atualmente. Além disso, é figura frequente na seleção brasileira há oito anos e participou da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Filipe Luís defende as cores do Atlético de Madrid, da Espanha | Foto: Divulgação

Dionei Floriano: Natural de Jaraguá do Sul, o lateral-direito Dionei foi campeão estadual de base pelo Juventus de 1996 e depois passou por clubes como Figueirense, Coritiba, Santos, Guarani de Palhoça e Atlético Tucumán-ARG.

Depois de parar profissionalmente, jogou por 12 anos no Vitória, de Jaraguá, sendo multicampeão amador na região. Aos 38 anos, ele trabalha em uma loja de malhas e tem sua própria empresa na cidade de Pomerode.

Dionei com a camisa do Figueirense | Foto: Divulgação

Zagueiros

Edson Raimundo de Oliveira Gomes: Vindo do Estado da Bahia na década de 90, Gomes, de 52 anos, rodou por vários clubes do país, entre eles, Grêmio, Ypiranga (RS), União de Mogi das Cruzes (SP), Blumenau e Juventus.

Após pendurar as chuteiras, inaugurou sua própria escolinha em Jaraguá do Sul, no ano de 1997, e, desde 2001, forma atletas em Guaramirim, criando um vínculo com a região há 21 anos.

Gomes forma atletas na nossa região há mais de 20 anos | Foto Divulgação

Renato Hinterholz: Depois de sair de Crissiumal (RS) para seguir o sonho de virar jogador, Renatão foi aprovado em um teste no Juventus em 1977 e acabou se destacando em campeonatos catarinenses.

Com passagens ainda pelo Figueirense, onde jogou o Brasileirão, Marcílio Dias, e Palmeiras de Blumenau, o defensor casou, formou família e trabalhou por mais de 35 anos na Prefeitura de Jaraguá do Sul, sendo hoje aposentado aos 62 anos.

Renatão no Juventus, ao lado do filho Cleyton Henrique | Foto: Divulgação

Volantes

José Mario Rezende: Apesar de ser lateral de origem, Zé Mario teve atuações destacadas em diversas equipes como volante. Depois de vestir as camisas de alguns clubes como Atlético-GO, Novohorizontino (SP) e Matonense (SP), ele chegou ao Juventus em 1993.

Desde então, não saiu mais da cidade. Foi gerente de futebol do Tricolor, deu aula em escolinha de Corupá, administrou um society e uma unidade de costura em Jaraguá, e hoje, aos 59 anos, coordena a Escolinha O Pequeno e a Bola, ao lado do ex-companheiro de Juve, Biro.

Zé Mario atuou no Tricolor em 93 | Foto: Divulgação

Ariovaldo Xavier dos Santos ‘Arizinho’: O paulista de Taubaté foi um dos responsáveis por alavancar projetos de sucesso em diversas modalidades em Jaraguá, quando desembarcou na cidade em 1968. Mas também marcou seu nome na história do Juventus ao se tornar o maior artilheiro do clube, com 254 gols.

O volante com faro de gol encerrou sua carreira precocemente, aos 28 anos, mas deixou um marco no esporte e futebol catarinense. Aos 68 anos, ele é aposentado e ainda vive em Jaraguá do Sul.

Arizinho é o maior artilheiro da história do Juventus | Foto Divulgação

Meias

Jean Deretti: Cria do projeto ‘Futsal Menor’, do Colégio Evangélico Jaraguá, Jean Deretti foi revelado nos gramados pelo Figueirense e estourou no futebol em 2013, quando foi emprestado ao Grêmio e jogou o Campeonato Gaúcho, Brasileirão e Libertadores, além de ser convocado para seleção brasileira Sub-20 entre 2012 e 2014.

Ainda no Brasil, atuou por Joinville, Mogi Mirim (SP) e Ypiranga (RS). Fora do país, teve uma experiência na Geórgia e hoje, aos 25 anos, está jogando na Eslováquia.

Hoje na Eslováquia, Jean Deretti estourou no Brasil, quando jogou no Grêmio | Foto Divulgação

Alfredo Gonçalves da Silva ‘Biro’: Natural do Rio de Janeiro, Biro, 58 anos, fez a base no Fluminense e jogou por clubes conhecidos do país, como Ceará, CSA (AL), Volta Redonda (RJ), e outros do interior catarinense, carioca, goiano e paranaense.

Em 1993, acertou com o Juventus e fixou residência em Jaraguá do Sul desde então. Pai do atacante Clayton, hoje no Bahia, Biro forma atletas pela Escolinha O Pequeno e a Bola há mais de 20 anos e já treinou o Sport Club Jaraguá.

Carioca, Biro defendeu o Moleque Travesso na década de 90 | Foto: Divulgação

Atacantes

- Sandro Luis Schmitt ‘Toto’: Primo do goleiro Ado, o jaraguaense Toto, 50 anos, foi revelado no Juventus e artilheiro do Estadual em 1990 e 1991. Ganhou destaque no cenário nacional ao atuar por grandes clubes brasileiros, como Flamengo, jogando ao lado de Zico, além de Cruzeiro, Paraná, Criciúma e Fortaleza, tendo títulos expressivos no currículo de Brasileiro, Copa do Brasil e Supercopa da Libertadores. O artilheiro encerrou a carreira, aos 32 anos, e atualmente reside e trabalha em Jaraguá do Sul.

Toto foi campeão e jogou ao lado de grandes craques no Flamengo | Foto Divulgação

Alaor Palacio Junior: Paranaense de Arapongas, Alaor foi destaque do Juventus em 1994, quando ajudou a levar o clube a uma terceira colocação no Estadual. Em sua carreira, passou por quase 20 clubes, entre eles, Coritiba, Criciúma, Paysandu, Caxias (RS), Londrina (PR) e até no futebol coreano. Com a aposentadoria dos gramados em 2003, o ex-jogador de 49 anos voltou a Jaraguá do Sul, onde formou uma família e trabalha em um hotel da cidade.

Alaor foi um dos grandes atacantes da história juventina | Foto Divulgação

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?