Eduardo Bandeira de Melo é uma das oito pessoas envolvidas no processo | Foto: Ricardo Cassiano
Eduardo Bandeira de Melo é uma das oito pessoas envolvidas no processo | Foto: Ricardo Cassiano

Resumo da notícia:

  • Incêndio no Ninho do Urubu: MP vai indiciar ex-presidente do Flamengo por homicídio culposo
  • Funcionários do clube e de empresa responsável pela manutenção dos contêineres também serão indiciados
  • Tragédia em 2019 deixou 10 mortos, entre eles, dois catarinenses

Nesta segunda-feira (29), o Ministério Público do Rio de Janeiro anunciou que vai indiciar oito pessoas envolvidas no incêndio do Ninho do Urubu por homicídio culposo, que é quando não há intenção de matar.

Entre eles, está o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, funcionários do clube e da NHJ, empresa responsável pela manutenção dos contêineres.

A tragédia ocorrida em 8 de fevereiro de 2019 deixou 10 mortos, entre eles, dois catarinenses: Vitor Isaías, de Florianópolis, e Bernardo Pisetta, de Indaial. As vítimas tinham entre 14 e 16 anos de idade.

Os indiciados pelo incêndio serão:

  • Danilo da Silva Duarte, engenheiro da NHJ;
  • Edson Colman da Silva, técnico em refrigeração;
  • Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo;
  • Fábio Hilário da Silva, engenheiro da NHJ;
  • Luis Felipe Pondé, engenheiro do Flamengo;
  • Marcelo Sá, engenheiro do Flamengo;
  • Marcus Vinícius Medeiros, monitor do Flamengo;
  • Weslley Gimenes, engenheiro da NHJ.

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul