A cidade de Jaraguá do Sul teve um bom desempenho em várias modalidades na 17ª Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc). Um exemplo foi o xadrez, que trouxe de Rio do Sul um total de 11 medalhas, o maior número entre os esportes da casa. Mas nenhum representante jaraguaense se destacou mais que a natação feminina, que ganha seu espaço na segunda matéria da série três reportagens do jornal "O Correio do Povo", sobre as modalidades que mais ficaram em evidência na competição. Com a cidade-sede sem uma estrutura necessária para receber as disputas nas piscinas, a natação teve suas provas antecipadas para o mês de setembro no Complexo Aquático da Unisul, em Palhoça, enquanto as outras modalidades aconteceram entre 7 e 14 de outubro. E os resultados na água que iniciaram a caminhada de Jaraguá acabaram permanecendo como os mais destacados até o fim do evento. Sob a supervisão da professora Verônica Paciello Matile e comando técnico de Ronaldo ‘Kiko’ Fructuozo, o grupo formado por sete meninas garantiu o título geral da modalidade, o sétimo na história de Jaraguá do Sul na Olesc. A conquista veio por dez medalhas, com cinco de ouro, três de prata e duas de bronze, que renderam uma somatória de 128 pontos, sete à frente da vice-campeã da modalidade, Joinville. “Essa equipe vem numa crescente, já que havia ficado em 3º lugar geral há dois anos e 2º em 2016. Então esperávamos por esse troféu de campeão. Foi muita dedicação, raça e amor envolvido nas meninas, que acreditaram até o fim que seria possível”, disse Verônica, que comandou a equipe formada por Maria Fernanda Silveira, Maria Eduarda Silveira, Anna Carolina Bartz, Letícia Nicoluzzi Pelis, Letícia Kochepka, Aline Pauli e Maria Eduarda Sterpim.
Maria Fernanda Silveira foi o maior destaque da equipe | Foto Eduardo Montecino/OCP
Entre estes nomes, o maior destaque ficou para Maria Fernanda Silveira, que faturou as medalhas de ouro e de quebra bateu o recorde nas provas de 50m livre, 100m livre e 100m borboleta, além de levar uma prata nos 50m borboleta. “Meus últimos treinos antes da competição não estavam tão bons e me surpreendi com estes resultados. Foi muito melhor do que eu esperava. Fico triste de ter sido meu último ano na Olesc, mas muito feliz por ter conquistado estas medalhas e deixado minhas marcas em três provas”, disse a atleta. Maria Fernanda ainda garantiu outros dois ouros nos revezamentos 4x100m livre e 4x100m medley, ao lado da irmã gêmea Maria Eduarda Silveira, Anna Carolina Bartz e Leticia Nicoluzzi Pelis. Individualmente, Maria Eduarda também subiu ao pódio com a prata nos 100m costas, e bronzes nos 400m livre e 50m costas, enquanto Anna Carolina ficou com a prata nos 800m livre. Com os resultados expressivos na Olesc, a equipe ganha uma confiança ainda maior para os próximos compromissos na temporada. Até dezembro, as meninas disputam duas etapas do Estadual, Brasileiro Infantil, Sul-Brasileiro, e Estadual de Verão. “A expectativa é muito boa para estes campeonatos, principalmente após o desempenho na Olesc. São competições muito difíceis e com nível técnico muito elevado, como o Brasileiro. Mas podemos conquistar bons resultados e trazer ainda mais medalhas”, projetou Verônica, que espera manter Jaraguá entre os melhores colocados na Olesc do ano que vem. “Vamos perder a Maria Fernanda e Maria Eduarda por estourarem a idade. Mas as que ficam vão evoluir em 2018 e outras meninas aparecerão até lá. Ainda é cedo para pensar em troféu, mas com certeza, vamos continuar brigando por medalhas”, finalizou a professora. LEIA TAMBÉM:Delegação jaraguaense na 17ª Olesc se torna “papa medalhas” no xadrez - Jaraguá fecha Olesc com 32 medalhas e repete a 6ª colocação geral do ano passado