Menina de 12 anos é proibida de jogar futebol em torneio no ES

Foto: Arquivo Pessoal

Por: Lucas Pavin

01/04/2024 - 10:04 - Atualizada em: 01/04/2024 - 10:29

Aos 12 anos, Nicoly Almeida foi inscrita pelo Cepe e chegou a fazer sua estreia pela equipe na Copa A Gazetinha 2024, em São Mateus, Região Norte do Espírito Santo, na vitória por 5 a 0 sobre o Assavac, pela categoria 12/13.

Porém, a atleta não poderá mais jogar o torneio. Isso porque, o time goleado na primeira rodada entrou com o recurso junto à organização do campeonato alegando que o regulamento não permite a participação de meninas. Os organizadores acataram o pedido e solicitou ao Cepe que a jovem seja retirada do campeonato.

Um comunicado foi emitido informando que a inscrição e participação de Nicoly eram irregulares e o Cepe seria punido conforme o parágrafo 3° e artigos 35 e 36 – que não tratam da presença de atletas do sexo feminino nos times, mas que penalizam o clube por “uso irregular de atleta”.

Assim, o Cepe perdeu os pontos da partida, que foram revertidos para o Assavac e não pode mais ter a menina no elenco.

Porém, o técnico do Cepe, Iran Dias afirmou que colocou a jogadora em campo após receber aval da própria organização.

“No dia 16/03 pedi a listagem dos atletas aptos à disputa e o nome de Nicoly constava entre eles”, contou ao portal A Gazeta.

Já Rodrigo Couto, organizador do torneio, afirmou que a escalação dos atletas é de total responsabilidade dos clubes.

“É uma questão simples. Houve uma inscrição irregular. O time adversário recorreu e foi aplicada a regra do artigo 35 do regulamento. O clube e seus representantes são responsáveis pela escalação dos atletas. Não cabe à Coordenação Geral, buscar ou tentar provar irregularidade em qualquer associação, salvo o perfeito conhecimento da causa”, declarou.