Pela primeira vez na história, o Campeonato Piauiense Sub-11 liberou a participação de meninas para jogar com os meninos. E uma das atletas inscritas na competição comoveu o país.

Com apenas 10 anos de idade, Klara Maria concedeu entrevista ao Globo Esporte e falou do preconceito que sofre por praticar o esporte.

“O povo fica me criticando. Isso dói, o povo fica me chamando de 'machão', tudo quanto. Eu viro a cara e continuo jogando a minha bola”, disse, em entrevista ao Globo Esporte.

Klara também se emocionou ao destacar sua paixão pelo esporte.

“Sei lá (por que estou emocionada). Sempre foi um sonho (jogar bola). Achei que nunca conseguiria, aí todo o final de semana a minha mãe deixava aqui no campo. Nunca pensei que tivesse uma escolinha que me aceitaria”, declarou.

Com a grande repercussão do vídeo, a garota recebeu convites para treinar em equipes profissionais e ganhou o incentivo de atletas profissionais do futebol feminino para não desistir dos seus sonhos.

“Eu fiquei muito emocionada, e gostei muito quando vi a reportagem. Acho importante isso. Tenho que dar apoio para as meninas. Ajudar as meninas. Acredito que possa ser minha missão. Eu gostei (da repercussão). Eles me apoiaram muito. Gostei do que falaram comigo. Muito obrigada”, contou.

“Muitas pessoas pediram para que eu treinasse. O Sampaio Corrêa, o Gutierre, preparador de goleiro, pediu para eu treinar com ele, treino físico e técnico. Uma menina do Skill Red me convidou para eu acompanhar o treino. Quando eu fiz a reportagem, mudou minha vida. Várias pessoas perguntaram se eu queria treinar”, completou.