Em entrevista à RedeTV, o chefe da comissão médica da CBF, Jorge Pagura, disse que o público só deve voltar aos estádios no Brasil após uma vacinação em massa. O profissional acredita que isso deve ocorrer em "setembro ou outubro".

"Eu acho que temos que vacinar uma maior parte da população pelo menos até setembro ou outubro. O governo está garantindo um número grande [de vacinas]. Hoje, não vai se falar em futebol antes que a curva [de casos da covid-19] caia de uma forma bastante grande. Isso tem que cair drasticamente para pensar a volta do público ao estádio", declarou Pagura.

"Não dá para colocar o público no estádio, mas esperamos que haja inundação de vacinas no país. Têm três coisas que podem melhorar: máscara, álcool em gel e a vacinação. A gente ficou um pouco atrás [na vacinação]. País com 200 milhões de habitantes devia ter ritmo de vacinação muito maior", completou.

Ao ser questionado sobre uma possível paralisação do futebol no Brasil, o médico defendeu os protocolos de segurança adotados pela CBF.

"Uma coisa é mostrar que temos segurança. Se tem alguma atividade dentro do país segura é um jogo de futebol. Somos de uma modernidade total, de uma proteção enorme. Tenho certeza absoluta que o meu setor está altamente protegido. Fazer campeonato ou não é respeito às decisões sanitárias locais. Estamos mostrando que essa atividade é segura e disponibilizando todos os dados às autoridades. Mas há um respeito absoluto nosso pelas decisões dos comitês locais e de crise no que diz respeito à parte sanitária", afirmou.