O empresário, ex-jogador e ex-dirigente Valério Mattos morreu nesta quinta-feira (17) em Florianópolis, aos 87 anos, vítima de complicações de saúde. De longa trajetória na vida social e esportiva da Capital, Valério deixa o legado da eficiência, competência e qualidade humana.

Valério foi empresário do ramo da contabilidade e se notabilizou pelo seu restaurante Pirão, tanto na Beira Mar Norte, quanto no Mercado Público.

No futebol, Valério jogou e foi campeão catarinense pelo lendário time do Paula Ramos, da Capital, em 1959. Jogou ainda no Figueirense no início da década de 1960 e fez uma partida com a camisa do Avaí, num amistoso contra o Bangu, em 1957. Valério foi ainda dirigente tanto do Avaí quanto do Lagoa Iate Clube.

Seu corpo será velado no Crematório Vaticano do Itacorobi hoje, das 17 as 19 horas.

Os dois clubes da Capital emitiram nota.

Valério foi campeão no Paula Ramos e jogou ainda no Avaí e Figueirense | Arquivo Pessoal

Nota do Figueirense

"O Figueirense Futebol Clube lamenta, com profundo pesar, o falecimento do seu ex-atleta Valério Mattos, ocorrido na manhã desta quinta-feira (17), em Florianópolis. Valério tinha 87 anos.

Um dos grandes expoentes da história do futebol Catarinense, Valério Mattos foi também um empresário de sucesso e uma personalidade bastante influente na cidade de Florianópolis.

O Figueirense lamenta a perda de uma grande pessoa e excelente profissional, e se solidariza com os familiares e amigos neste momento de dor e consternação."

 

Nota do Avaí

"O Avaí FC e seus poderes constituídos lamentam, com pesar, a morte do desportista Valério Mattos, aos 87 anos, ocorrida na manhã de hoje em Florianópolis. Ex-campeão Catarinense pelo Paula Ramos em 1959, Valério atuou pelo Avaí em uma única partida, um amistoso contra o Bangu (RJ) em 1957.

Valério Mattos vivia sob cuidados médicos, em uma casa de repouso, com a assistência especializada e apoio dos quatro filhos, pois sofria de Alzheimer. Aquela figura fantástica, homem de grande caráter, Valério sempre cultivou a amizade, o carinho de todos. E foi um dos expoentes do futebol catarinense, numa época romântica do nosso futebol.

Valério também participou da gestão azurra como diretor de futebol e vice-presidente de finanças em 1973. No ano seguinte, foi vice-presidente na gestão de João Salum. Em 1977 fez parte da comissão coordenadora do projeto “Novo Avaí”, para a construção de um estádio para o clube.

Completaria 88 anos no dia 9 de dezembro próximo, mas deixa como legado uma história de vida exemplar, depois de construir uma família sensacional. Adorava passar os dias em seu sítio, em Santo Amaro da Imperatriz. Tinha um campinho de pelada onde, já aposentado, por muito tempo jogou futebol com os amigos.

Conta a história que Valério começou jogando futebol no Ipiranga, de São José, e defendeu outras equipes amadoras até chegar ao Paula Ramos Esporte Clube, onde foi campeão em 1959, aos 26 anos, levado pela família Carioni. Jogou pelo Avaí em 1957, ao lado de Teixeirinha em um amistoso. E defendeu também o Figueirense.

Foi dirigente do Lagoa Iate Clube, onde também jogou futebol com os amigos e, provavelmente, sua história será eternizada em um livro que está em produção pelo médico Murilo Capella, seu grande amigo."

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp