Nesta quarta-feira (25), a Justiça indeferiu o pedido do Vasco de suspender a execução dos R$ 93,5 milhões em dívidas trabalhistas. O clube carioca deve recorrer da decisão novamente.

Este foi o segundo pedido do cruzmaltino para derrubar a REEF (Regime Especial de Execução Forçada), que cobra os dividendos com ex-funcionários.

Na semana passada, o Vasco chegou a declarar em nota que a execução de uma dívida com valor tão elevado colocava em risco a continuidade das atividades do clube.

"A surpreendente decisão do juiz gestor da CAEX, Dr. Fernando Reis de Abreu, inviabiliza completamente o funcionamento do Vasco e o cumprimento de suas obrigações mais básicas, além de impor a liquidação de ativos operacionais do clube. Na prática, a decisão, de forma absolutamente açodada, pretende decretar o encerramento das atividades de um clube que tem a 5ª maior torcida do país e que dispõe de todas as condições necessárias para reverter o atual estado de crise econômico-financeira, como vem demonstrando no presente exercício social", postou o clube em nota.