Promotores argentinos iniciaram uma investigação sobre a morte de Diego Armando Maradona.

Eles buscam determinar se o ex-jogador recebeu os cuidados necessários antes de sofrer uma parada cardiorrespiratória na tarde de quarta-feira (25).

O ex-jogador era acompanhado por uma equipe médica em sua casa, já que havia passado por uma cirurgia no cérebro no início deste mês.

A investigação se concentra sobre essas 12 horas que precederam o infarto para determinar se o atendimento domiciliar era recomendável para um paciente no estado de Maradona. Ele era dependente de álcool e medicamentos para ansiedade e para dormir.

Poucas horas depois de sua morte, Matías Morla, advogado e amigo de Maradona, denunciou "que a ambulância demorou mais de meia hora para chegar à casa onde estava o [camisa] 10". Por isso, ele avisou que irá "até o fim" para esclarecer o ocorrido.

O caso aberto pela Procuradoria Geral da República de San Isidro intitula-se "Maradona, Diego. Investigação da causa da morte".

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul