Os jogadores da seleção brasileira que atuam na Europa se reuniram com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, e discutiram participar ou não da Copa América, que inicia no dia 13 de junho, no Brasil.

A conversa aconteceu na última quarta-feira (2), antes da viagem da delegação de Teresópolis para Porto Alegre, onde a Seleção enfrenta o Equador nesta sexta (4), pelas Eliminatórias da Copa de 2022.

"Temos uma opinião muito clara e fomos lealmente, numa sequência cronológica, eu e Juninho, externando ao presidente qual a nossa opinião. Depois, pedimos aos atletas para focarem apenas no jogo contra o Equador. Na sequência, solicitaram uma conversa direta ao presidente. Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a posição dos atletas também ficou clara. Temos uma posição, mas não vamos externar isso agora. Temos uma prioridade agora de jogar bem e ganhar o jogo contra o Equador. Entendemos que depois dessa Data Fifa as situações vão ficar claras. Depois desses dois jogos, vou externar a minha posição", disse o técnico Tite.

Jogadores mais experientes do elenco externaram a insatisfação por terem descoberto pela imprensa e pelas redes sociais que o Brasil sediará o torneio.

O volante e capitão Casemiro não foi para a entrevista coletiva, como estava programado. Desde o anúncio de que a Copa América será disputada no Brasil, nenhum jogador concedeu entrevista coletiva.

Enquanto vive essa indefinição da Copa América, a seleção enfrenta o Equador nesta sexta, às 21h30, no Beira-Rio, pelas Eliminatórias. O Brasi é líder das Eliminatórias, com 100% de aproveitamento em quatro rodadas.