O meia Celsinho, do Londrina, afirmou ter sido alvo de racismo durante o jogo contra o Brusque no sábado (28), pela 21ª rodada da Série B do Brasileiro.

Segundo o jogador, uma pessoa que estava no camarote do time catarinense, no estádio Augusto Bauer, o chamou de “macaco”.

No intervalo do jogo, Celsinho chamou o quarto árbitro e chegou a apontar a pessoa que proferiu as ofensas racistas.

“De fato aconteceu (de ser chamado de macaco). Não sei se ele faz parte da comissão técnica, da diretoria, um senhor de vermelho no camarote. Também não entendo porque tem tantas pessoas assim em um protocolo que não estão liberados os jogos para os torcedores. É lamentável”, disse.

Não é a primeira vez que o atleta da equipe paranaense é alvo de racismo. Em julho, no jogo contra o Goiás, o narrador Romes Xavier e o comentarista Vinícius Silva, da Rádio Bandeirantes Goiânia, fizeram comentários racistas em relação ao cabelo de Celsinho.

Dias depois, contra o Remo, o narrador Cláudio Guimarães, da Rádio Clube do Pará, falou que Celsinho vai "com seu cabelo meio ninho de cupim para bater na bola".

“Mais uma vez...é inadmissível. E pode ter certeza. Uma equipe de porte médio-baixo recém promovida à uma Série B de Campeonato Brasileiro estar cometendo um ato desses é inadmissível, mas as providências serão tomadas”, declarou Celsinho após o jogo contra o Brusque.