Corinthians foi soberano e JEC não conseguiu reverter o placar | Foto: Vitor Kortmann/JEC/Krona

Corinthians foi soberano e JEC não conseguiu reverter o placar | Foto: Vitor Kortmann/JEC/Krona

Não deu para o JEC/Krona. A missão era difícil e, jogando diante do torcedor corintiano, o Tricolor sucumbiu, mais uma vez ao Corinthians e ficou com o vice-campeonato da Copa do Brasil. Com autoridade, o Alvinegro venceu o Joinville por 3 a 0 e faturou o título inédito.

O clima de decisão ficou evidente antes mesmo da bola rolar. De um lado, o JEC reclamava da falta de iluminação na sua quadra de defesa, do outro o Corinthians alegava que também seria prejudicado na segunda etapa e queria que o jogo iniciasse. Com quase 10 minutos de atraso, o apitou inicial soou e a temperatura continuou alta. Já no início da partida, após dividida entre Thiaguinho e Henrique, os ânimos se exaltaram e o resultado foi cartão amarelo para os dois atletas.

O jogo continuou pegado, com o JEC tentando chegar com Bruninho Iacovino e Genaro e o Corinthians apertando e quebrando a marcação do Joinville. Ewerton, após cobrança de lateral desviada quase conseguiu enganar Obina, mas o goleirão garantiu o placar fechado.

O empate era favorável ao Timão que, com o resultado, levantaria a taça, mas não estava satisfeito e tratou de alegrar a torcida alvinegra. Aos 12 minutos, Nenê avançou pelo meio e tocou na ala direita para Caio, que ficou com a marcação individual de Bruninho Iacovino. Experiente, o jogador corintiano puxou para a direita, tirou Bruninho do lance, chutou alto e forte no canto esquerdo de Willian para aumentar ainda mais a vantagem do Corinthians.

Os donos da casa continuaram avançando e empurrando a marcação do Joinville para sua quadra de defesa, minando as chances de ataque. O Tricolor teve mais uma boa chance com Ewerton que ficou cara a cara com Obina, mas parou no jovem goleiro corintiano.

O Corinthians voltou para a segunda etapa com vantagem ainda maior e fez valer a tranquilidade. Distribuindo belas jogadas com canetas e lambretas, a equipe da casa dominava a partida, mas parava em defesas importantes de Willian.

Ao Joinville só restava pressionar a saída de bola e empurrar o Corinthians contra o seu próprio gol. Com o relógio correndo, Vander Iacovino lançou Leandro Caires como goleiro linha aos 14 minutos e, mais uma vez, a tática não funcionou, assim como no jogo em casa.

Dois minutos depois, gol de goleiro em São Paulo. Aproveitando a meta vazia, Obina bateu com tranquilidade e só esperou a bola entrar para comemorar.

Nenê tratou de fechar o placar e selar a vitória aos 18 minutos, novamente, sem goleiro para defender.

Restando 52 segundos no relógio, Leandro Caires cometeu a sexta falta, foi expulso e cedeu o tiro livre ao Corinthians. Na cobrança, Matheus parou em Willian, mas já não havia tempo para mais nada e os donos da casa apenas deixaram o tempo correr para deixar soltar o grito que já ecoava na arquibancada: É Campeão!

As duas equipes buscavam o título inédito e o Corinthians o conquistou com autoridade. No placar agregado, 7 a 1 para o Timão.

Destaque do Tricolor, Willian lamenta a derrota, mas lembra que o Joinville tem a busca pelo bicampeonato da Liga Nacional já na próxima semana. “Toda derrota é dura, eu não gosto de perder e isso vai me tirar o sono por alguns dias. Agora, temos que nos remontar porque temos um jogo difícil no dia 16. A Copa do Brasil foi uma competição muito difícil, tivemos vários problemas de lesão, viajamos o Brasil inteiro para chegar à final, estamos sendo guerreiros, mas hoje não tivemos força”, diz.

Depois da final, o JEC viaja direto para Cascavel para disputar o primeiro jogo das oitavas de final da Liga Nacional, na próxima terça-feira (16).

--

Quer receber as notícias no WhatsApp?