O ‘Time Jaraguá’ viaja hoje ao Sul do estado, onde cumpre o último compromisso da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) com a Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) na temporada 2017. Com uma delegação composta por 70 pessoas, entre atletas, técnicos, dirigentes e equipe de apoio, os jaraguaenses participam dos 13º Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina, o tradicional Parajasc, que acontece a partir desta sexta-feira (1º) e se estende até quinta-feira (6), na cidade de Criciúma. Cerca de 1.700 paratletas oriundos de 52 municípios estarão no evento, disputando 12 modalidades: atletismo, basquete, basquete em cadeira de rodas, bocha, bocha paralímpica, ciclismo, futsal, golbol, handebol em cadeira de rodas, natação, tênis de mesa e xadrez, nos segmentos físico (DF), auditivo (DA), intelectual (DI) e visual (DV). Jaraguá do Sul competirá em seis delas como DI e DF: atletismo, bocha, bocha paralímpica, futsal, natação e tênis de mesa. Muito mais que uma simples medalha, a participação no campeonato poliesportivo estadual chega para coroar o esforço e dedicação dos competidores durante o ano, que encontraram no paradesporto uma ferramenta eficaz e transformadora para superar os obstáculos enfrentados na vida. “O Parajasc é uma motivação aos atletas para que durante a temporada eles mantenham uma qualidade de vida. A competição é a cereja do bolo, mas o mais importante são eles estarem sempre ativos. O esporte faz com que todos sejam melhores e o Parajasc traz esse sentido para vida deles”, destacou Ricardo Zornitta Pimentel, técnico do paradesporto jaraguaense.

Luís Henrique conquistou três medalhas nos últimos dois anos e, pela primeira vez, compete em três provas no evento.

  EXPERIÊNCIA E JUVENTUDE NA BUSCA POR MEDALHAS Mas nem por isso, os paratletas deixam a busca pelo pódio de lado e o município conta com várias apostas para conquista de medalhas. Alguns já carregam experiência no torneio, como Luís Henrique Tomaselli. Após sofrer um acidente de trânsito em 2013 e ter que amputar a perna esquerda abaixo do joelho, o autônomo de 41 anos achou no esporte uma forma de fugir do sedentarismo. Com isso, se dedicou ao atletismo e vai para seu terceiro Parajasc na carreira. Em 2015, levou duas pratas no arremesso de peso e lançamento de disco, enquanto no ano passado, foi bronze novamente no disco. Agora, ele vai para Criciúma disputar três provas: arremesso de peso e lançamento de disco e dardo. “Sempre busco melhorar e quero medalhas em todas as provas. É muito legal competir e conhecer várias pessoas. Aprendemos muito no Parajasc e é gratificante representar a cidade”, disse Luís. Outros nomes na delegação surgem como novidades e participam do evento pela primeira vez. É o caso de André Henrique Engel. Depois de sofrer um grave acidente de moto e ter a perna esquerda amputada, em 2014, o atleta de 23 anos teve problemas com álcool e também achou no esporte uma maneira de mudar seus hábitos para ter uma vida mais saudável. A recuperação iniciou há quatro meses, quando o atletismo passou a fazer parte da rotina diária. Melhorando sua autoestima, ele foi evoluindo gradativamente nas pistas. Tanto que ele vai para a estreia no Parajasc disputando as provas de salto em distância e salto em altura. “Estar na pista é muito bom e aprendi a gostar do esporte. É motivador saber que estarei representando Jaraguá e mesmo competindo pela primeira vez, quero conquistar medalhas”, afirmou André.

Estreante no Parajasc, André Henrique pratica atletismo há apenas quatro meses e participa dos saltos em distância e altura.