Gabriel Ristow Tasca desembarcou nesta terça-feira (28) no Brasil com o sentimento único de ter estreado no Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub-18, que aconteceu em Encarnación, no Paraguai.

Mas não foi qualquer estreia. O atleta da Associação Prática de Atletismo (APA/Secel), de Jaraguá do Sul, voltou para casa com duas medalhas.

Uma prata nos 400m rasos, em que fechou a prova com o tempo de 48.73 segundos, ficando apenas cinco centésimos atrás do compatriota Vinicius Moura Galeno, que levou o ouro.

O jaraguaense ainda foi campeão do revezamento 8x300m, com outros sete brasileiros.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Segundo Tasca, as conquistas são a realização de um sonho e serve como motivação para buscar uma vaga nas Olimpíadas de 2024, em Paris.

“Realizo um sonho que quando comecei a treinar nunca imaginei que conseguiria. E tudo isso é só mais motivação para seguir no esporte e sonhando cada vez mais, e obviamente treinando muito mais, pois Paris 2024 é logo ali”, disse.

Além do corredor, Jaraguá do Sul também esteve representada pelo técnico Ezequiel Emerson Wagner, que foi convocado para integrar e orientar a delegação brasileira no evento.

“Compor o quadro de uma delegação é algo que todo atleta e técnico desejam. Me senti como uma criança em sua primeira aula de ciências descobrindo um mundo novo, impressionado com o micro e o macro”, destacou.

Ambos ajudaram o Brasil a garantir o título geral do evento. Com 15 ouros, 19 pratas e 13 bronzes, o país somou 236 pontos, contra 124 pontos da vice-campeã Colômbia.

Outro atleta da APA, Henrique dos Santos Guse também foi convocado, na prova do lançamento do martelo, mas acabou sendo barrado no aeroporto por um problema na carteira de identidade.

Henrique Guse | Foto: Paulinho Sauer