A captação de recursos por meio da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE) tem apresentado ótimos resultados desde sua criação no Brasil, em 2007. A formação e descoberta de atletas, além da possibilidade de profissionalizar ainda mais os clubes que recebem a doação de recursos, são alguns dos pontos positivos do programa, que visa o desenvolvimento do esporte no país. Recentemente, o Jaraguá Futsal conseguiu junto ao Ministério do Esporte a aprovação de projetos vinculados à lei, que chega para auxiliar o clube no seu ano de reconstrução. Sancionada há dez anos, a ferramenta permite que patrocínios e doações para a realização de projetos desportivos educacionais, de lazer, de alto rendimento e paradesportivos sejam descontados do Imposto de Renda devido por pessoas físicas e jurídicas. As pessoas físicas podem descontar até 6%, e pessoas jurídicas, até 1%, tributadas com base no lucro real, sem nenhum custo adicional. Com base nisso, o Jaraguá Futsal iniciou seu projeto no ano passado. O até então presidente Gerson Postai entrou em contato com o atual supervisor da equipe Bruno Vanço – antes assessor de imprensa do Umuarama –, que já havia executado o mesmo processo para diversas instituições em outras oportunidades. Após oito meses de espera, o clube teve seu pedido aprovado para uma captação de recursos que pode chegar a R$ 685 mil. Ela abrange todos os quesitos necessários para o time na temporada, podendo auxiliar nas despesas de uniformes, comissão técnica, logística, transporte, alimentação e hospedagem. O dinheiro só pode ser destinado para despesas e investimentos dentro do clube, sem inclusão do pagamento de dividas. “Muitos empresários reclamam por pagar imposto e não saber onde vai parar o seu dinheiro. Essa é uma forma do empresário saber o destino, podendo aplicar um 1% no esporte e num projeto destinado diretamente em Jaraguá do Sul. Então, é um dinheiro que fica aqui e uma forma de ajudar o nosso clube”, disse o supervisor Bruno Vanço. “Muitas empresas não aderem por desconhecimento. Hoje, o nosso projeto é o único com esse tipo de captação aprovada no esporte da cidade. O marketing da empresa também pode ter um ganho por aparecer na camisa, placas, televisão e tudo mais, através de um dinheiro que podemos dizer gratuito, pois o valor do imposto você direciona ao esporte”, completou. Com a aprovação, o clube agora busca empresas ou pessoas interessadas em aportar o montante estipulado no projeto. Patrocinadora máster, a Fakini Malhas é a única que vem contribuindo no momento, mas outros empreendimentos já receberam proposta que estão próximas de serem fechadas, como Havan, Mime, Agricopel e Taschibra. “O projeto é um importante e fundamental amparo financeiro ao clube, pois com ele conseguiremos manter as atividades da entidade e honrar os compromissos assumidos. Convidamos todas as empresas de Jaraguá do Sul a fazer parte do projeto. Não custa nada a mais, é só uma questão de ao invés de pagar imposto ao governo, deduzir para ajudar uma instituição tão querida da cidade”, destacou Francis Fachini,vice-presidente do Jaraguá e sócio proprietário da Fakini Malhas.   PRESIDENTE CITA METAS DO CLUBE Para o presidente do Jaraguá Futsal, Marcio Haffemann, a aprovação do projeto de Lei do Incentivo ao Esporte é um novo passo do clube, que busca cada vez mais a sua profissionalização, após um 2016 conturbado com diversos problemas fora de quadra. Agora, o próximo objetivo é o acerto total das dividas pendentes com fornecedores e atletas. Desde o início do ano, a diretoria pagou mais de R$ 100 mil em atrasados. Quando quitar estas pendências, os dirigentes já traçaram planos audaciosos a curto, médio e longo prazo, como a construção de um museu na Arena, contando toda a história vitoriosa do aurinegro; um Centro de Treinamento; fortalecimento das categorias de base, inclusive com o retorno de um time Sub-20; além de novas conquistas do Campeonato Catarinense, Liga Nacional e o tão sonhado Mundial. “Temos que continuar passo a passo. É um ano de reconstrução e nosso compromisso hoje é honrar os salários, alugueis, transportes e todos os custos que giram em torno do clube, além de acertar as dividas que foram se acumulando nos últimos anos. Mas acreditamos na força do nosso futsal e vamos continuar lutando para colocar ele de volta ao topo, que é onde merece”, declarou Haffemann. O projeto é um importante e fundamental amparo financeiro ao clube, pois com ele conseguiremos manter as atividades da entidade e honrar os compromissos assumidos. Francis Fachini, vice-presidente do Jaraguá Futsal   NOVO PATROCINADOR As novidades do clube na semana não pararam por aí. Na noite de terça-feira (22), a diretoria acertou com mais um patrocinador para o restante da temporada. Trata-se do banco Sicredi, que terá sua marca estampada no peito da camisa, abaixo do escudo do time. O contrato é válido por cinco meses, com possibilidade de renovação por mais uma temporada. “Ficamos confiantes por estar na reta final do terceiro trimestre do ano e ter mais um grande parceiro que acredita no projeto de transparência do Jaraguá Futsal. É mais uma marca que vai agregar muito aos outros patrocinadores e nos dá uma credibilidade ainda maior”, afirmou o presidente.