O não uso da camisa 24 na seleção brasileira masculina de futebol durante os jogos da Copa América segue dando o que falar.

Segundo o Esporte News Mundo, que teve acesso a detalhes do caso, o Grupo Arco Íris de Cidadania LGBTQIA+ entrou na Justiça nesta sexta-feira (15) contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O grupo cobra R$ 1 milhão da entidade por dano moral coletivo pela ausência da numeração nas camisas do Brasil na competição continental.

A CBF já foi alvo do grupo durante a Copa América, mas na época, os pedidos eram de obrigação do uso do número 24. Porém, a Justiça não julgou a tempo e o caso perdeu objeto.

O Grupo Arco Íris de Cidadania LGBTQIA+ indica que o valor de R$ 1 milhão deverá ser destinado a elaboração de edital de financiamento de projetos nesta área que serão selecionados durante três anos, através de um comitê formado pelas partes.

O caso corre na 50ª Vara Cível da Capital do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).