A Fórmula 1, o esporte tecnológico e de grandes pilotos onde o Brasil conseguiu muitas alegrias (nosso país continua seguindo no terceiro lugar em número de mais títulos e vitórias em Grandes Prêmios, atrás de Grã-Bretanha e Alemanha), é a nova conquista do “reino” das apostas esportivas.

De acordo com o site Terra, a Fórmula 1 fechou negócio com a empresa Interregional Sports Group para que seja criado um sistema avançado de compartilhamento de dados, para que sejam lançadas apostas esportivas sobre resultados das competições. A mesma notícia foi divulgada também em vários órgãos de mídia internacionais.

Ainda de acordo com o Terra, o diretor comercial da Fórmula 1, Sean Bratches, falou que o objetivo é aproveitar e utilizar dados dos carros e das performances, produzidos pelas equipes, para orientar e ajudar os usuários em suas apostas.

O objetivo final, além da receita, é criar um maior engajamento com os fãs de equipes, pilotos e das apostas esportivas em geral. O negócio tem o valor de cerca de $400 milhões por cinco anos.

Mudança de clima no esporte

Depois de muitos anos de liderança pessoal do famoso Bernie Ecclestone, a Fórmula 1 é agora comandada pela Liberty Media, companhia americana que pretende trazer o esporte para o século XXI. O engajamento com as mídias sociais vem sendo uma das diferenças mais visíveis entre a nova liderança e a anterior. A abertura ao mercado das apostas esportivas é a mais recente; o “velho” Ecclestone nunca se havia mostrado interessado nesse cenário.

A questão das apostas esportivas a nível mundial

As apostas esportivas estão crescendo poderosamente a nível mundial. A internet e as tecnologias de computação vieram permitir o fornecimento de plataformas eletrônicas capazes de suportar centenas ou milhares de possibilidades de apostas, e que chegam a todo o planeta, acessíveis em computadores e smartphones.

Em países como o Brasil, onde o funcionamento de apostas a nível nacional não está regulado (na realidade, é proibido por lei, tanto para a “casa” como para o próprio jogador), acessar apostas esportivas baseadas no exterior é uma forma de jogar sem criar problemas com as autoridades. O fato é que qualquer pessoa pode fazer apostas esportivas na ApostasBrazil sem problema, pois seus sites não se encontram baseados no Brasil e por isso as autoridades não têm por que atuar.

O futebol é, claro, o grande responsável pelo crescimento sustentado das apostas enquanto fenômeno mundial. Estima-se que 70% do total das receitas das empresas venha do “esporte-rei”. Entretanto, essa expansão para a Fórmula 1 demonstra que as empresas do setor estão atuando com grande profissionalismo e sentido de oportunidade.

Que futuro para o Brasil no esporte motorizado?

O Brasil está vivendo um período difícil (pelo menos falando de Fórmula 1). Mas também é preciso ver que nunca como agora esse esporte esteve tão dependente de somas incríveis de dinheiro para que pilotos e equipes possam atingir o sucesso. A possibilidade do talentoso Esteban Ocon ficar sem uma vaga para 2019 é o melhor exemplo desta tendência, que a Liberty Media está procurando combater.

Outros tempos virão, sem dúvida, pois qualquer marca de sucesso sabe se preservar. De qualquer forma, o Brasil tem dois talentos na Ferrari Driver Academy: Enzo Fittipaldi e Gianluca Petecof. Quem sabe se um deles não será colega de Charles Leclerc na Ferrari dentro de alguns anos; afinal, o piloto do Mônaco, recém contratado pela Scuderia, também subiu através da “academia” dos italianos.