O Flamengo está mais perto de conquistar o título do Campeonato Jaraguaense da Primeira Divisão. No confronto de ida da final, realizado na tarde deste domingo (26), o rubro-negro se impôs jogando dentro de seus domínios e goleou o atual campeão Cruz de Malta por 4 a 1, no Estádio Luís Carlos Ersching. Esta foi a primeira derrota dos cruzmaltinos na edição 2017 da Primeirona. O resultado faz com que a equipe do bairro Garibaldi precise apenas de um empate no duelo de volta para garantir seu terceiro título da competição. Sem o critério de saldo de gols na decisão, os cruzmaltinos tem que vencer no tempo normal – independente do placar -, para forçar as penalidades e seguir sonhando com o 13º caneco de sua história no certame. Os times se reencontram no próximo domingo, dia 3 de dezembro, no Estádio Eurico Duwe.
Lance do jogo entre Flamengo e Cruz de Malta I Foto: Lucas Pavin/Agência Avante!
Antes do início do jogo, foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem a Arildo Muller, presidente do Cruz de Malta, que acabou falecendo na semana passada vítima de um infarto. Com a bola rolando, o Flamengo fez o valor o mando de campo e mostrou superioridade nos primeiros minutos. Após Eder obrigar o goleiro Rodrigão a fazer boa defesa em chute de longa distância, aos 5, os donos da casa conseguiram abrir o placar, aos 16. Em bela cobrança de falta, o lateral Tiago colocou a bola no ângulo direito, sem chances para o goleiro cruzmaltino. E não demorou muito para o rubro-negro ampliar a vantagem. Quatro minutos depois, o atacante Mineiro recebeu passe na esquerda, deu um lindo corte no zagueiro e colocou no canto esquerdo para fazer o segundo. A partir daí, o Cruz de Malta cresceu no jogo. Dominando a posse de bola, o time do Rio da Luz criou duas boas chances para diminuir o prejuízo ainda na etapa inicial, uma com Seco que pegou sobra na grande área, mas chutou por cima da meta, e outra com Kelvin, que parou em boa defesa de Alemão. O Cruz manteve a intensidade no início do segundo tempo e teve três boas oportunidades logo nos primeiros seis minutos. Mas em duas delas, o goleiro Alemão impediu os gols de Espeto e Cleitinho, enquanto na outra, o próprio Espeto não alcançou a bola em cruzamento de Jhoy e perdeu uma grande chance. Então, aquela velha máxima do futebol de ‘quem não faz, leva’ foi cruel para os cruzmaltinos. Aos 10, no primeiro contra-ataque bem encaixado pelo Fla, Eder saiu na cara de Rodrigão e bateu na saída do goleiro para marcar o terceiro dos mandantes.
Lance do jogo entre Flamengo e Cruz de Malta I Foto: Lucas Pavin/Agência Avante!
Os visitantes ainda tentaram esboçar uma reação, aos 36, quando Seco foi derrubado na área e o juiz marcou pênalti, que foi convertido por Cleitinho. Entretanto, em novo contragolpe do Flamengo, Lucas Souza deu um passe para Nando dentro da área e o goleiro Rodrigão parou o camisa 10 com falta, forçando mais um pênalti no jogo. Na cobrança, Claudinho deixou o dele e deu números finais a partida. Placar final: 4 a 1. “Nos motivamos bastante, sabendo que precisávamos da vitória por jogar em casa, senão ficaria complicado buscar um resultado lá no Cruz de Malta. Assim, podemos até perder que vai para os pênaltis. Então o grupo está de parabéns por construir a vitória que tanto almejávamos”, disse o lateral-esquerdo e autor do primeiro gol do Flamengo, Tiago Luiz Elizio. “Entramos (no jogo) desligados. Quando acordamos já estava 2 a 0 e ficou mais difícil ainda. Jogar no Flamengo nunca é fácil, mas estamos muito abaixo e sem vontade. Para quem chega numa final não pode ser dessa forma e fizemos uma partida medíocre. Falta um algo a mais e esse querer vai ser decisivo no jogo de volta”, avaliou Rodrigão, goleiro do Cruz de Malta. Já na final da categoria Sub-20, o Cruz de Malta levou a melhor no primeiro confronto contra o Botafogo. Com gols de Derick, Guilherme e Bryan, a equipe venceu pelo placar de 3 a 1. Arion descontou para os botafoguenses, que agora precisam de um triunfo para levar a decisão para as penalidades. O duelo de volta acontece também no dia 3 de dezembro, no Estádio Eurico Duwe.
Cruz de Malta (branco e preto) saiu na frente na final do Sub-20 contra o Botafogo I Foto: Lucas Pavin/Agência Avante!