O Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem condenou Tandara Caixeta a quatro anos de suspensão por doping.

A jogadora da seleção brasileira feminina de vôlei já havia sido suspensa preventivamente nas Olimpíadas de Tóquio pelo uso de Ostarina, que pertence a uma classe de anabolizantes e pode ajudar no ganho de massa muscular.

A substância foi coletada antes de a atleta embarcar para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 7 de julho de 2021, no Rio de Janeiro.

A jogadora confirmou que vai recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça, e afirmou, através das redes sociais, que o "sentimento de injustiça é angustiante".

“Agradeço o carinho e o suporte de todos nesse momento. O sentimento de injustiça é angustiante, mas com a ajuda de todos vocês vou superar esse momento e transformar essa situação em combustível para vencer mais essa batalha. #tandaracaixeta”, escreveu.

Tandara foi campeã olímpica pelo Brasil em Londres 2012 e bronze no Mundial de 2014, na Itália. Além disso, soma três títulos de Grand Prix, um de Copa dos Campeões e um de Jogos Pan-Americanos (Guadalajara 2011).