Nesta terça-feira (7), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assinou o projeto de lei que vai viabilizar a reforma do estádio São Januário, do Vasco.

Ele consiste em estabelecer o "potencial construtivo" da casa cruzmaltina, ou seja, estipular, em metros quadrados, quanto o terreno do estádio pode ser reformado e ampliado. Em troca, a Prefeitura disponibiliza esses m² ao Vasco, que os comercializa às empresas interessadas.

Inclusive, o clube já tem um pré-acordo de venda para um empreendimento na Barra da Tijuca, em valores que giram em torno de R$ 500 milhões.

Ainda é necessária a aprovação da Câmara de Vereadores para o clube ter os recursos para a obra do estádio, que passaria a ter capacidade para 43 mil pessoas.

“Tendo a honra de assinar o projeto de lei viabilizando a construção do novo estádio de São Januário. O que a gente está fazendo é pegando o potencial construtivo de São Januário, o que poderia se construir ali, e levando para outra área da cidade, na Barra da Tijuca. Isso permite viabilizar recursos. Só que a gente não permite que os recursos vão em dinheiro para o Vasco. A gente obriga que esses recursos sejam para a construção do novo estádio de São Januário”, disse Paes.

“Isso foi um pedido desde o início da administração do presidente Salgado, a quem eu queria homenagear e agradecer. E deixar um recado: a gente está numa negociação com o Fluminense, o Botafogo já está lá com o Engenhão e estamos abertos para o Flamengo, para ajudar os clubes do Rio de Janeiro”, completou o prefeito do Rio de Janeiro.