Quem pensa que Jaraguá do Sul vive apenas do futebol, futsal e outras modalidades de fácil reconhecimento do público está enganado. Os esportes de raquete vêm ganhando cada vez mais praticantes, entre eles, está o padel.

O esporte, que traz uma mistura de squash com tênis, caiu nas graças do público e agora tem uma nova casa na cidade para ‘bater aquela bolinha’: o Jaraguá Padel.

Inaugurado em abril, o espaço fica na rua João Carlos Stein, no bairro Jaraguá Esquerdo, quase em frente ao Estádio João Marcatto, do Juventus, e conta com toda estrutura necessária para prática da modalidade, além de outros atrativos:

  • Três quadras de padel profissional
  • Loja de equipamentos de padel
  • Churrasqueiras, Espaço kids
  • Mezanino
  • Vestiários completos
  • Cozinha para atender eventos

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

O local funciona seis dias por semana, sendo que as quadras podem ser locadas de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, e, no sábado, das 9h às 17h. Os valores variam conforme o dia e horário de uso, mas estão a partir de R$ 20 por pessoa.

Com o crescimento da modalidade na região, o Jaraguá Padel também disponibiliza aulas para praticantes com ou sem experiência e raquetes para quem ainda não adquiriu seu equipamento.

“A população de Jaraguá está muito curiosa em conhecer o esporte e vem procurando a academia diariamente para começar”, disse o proprietário Alessandro Becker.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Os interessados em entrar no esporte podem marcar as aulas através do Whatsapp (47) 99202-1007 ou no site gripo.app/reservar.

“Esperamos que a população de Jaraguá do Sul venha conhecer nosso local e aprender este esporte que está fazendo a cabeça de quem gosta de esporte no mundo todo”, declarou Becker.

União de gerações

O sucesso do padel é notório e apresentou um crescimento significativo durante a pandemia por ter sido uma das primeiras atividades liberadas pelos protocolos de saúde, já que é jogado com distanciamento entre os atletas na quadra.

Mas qual o motivo para a modalidade ganhar todo esse carinho do público? Para Alessandro Becker, o principal fator é o encontro de gerações, que o torna um esporte de família.

“Não existe idade para começar jogar padel e seu diferencial é a participação da família junta no esporte. A forte presença de mulheres e crianças fortalece a união da família no momento de lazer”, afirmou.

Por conta disso, o esporte não para de crescer. Santa Catarina, por exemplo, vem se tornando referência e já possui quadras em pelo menos nove cidades. Balneário Camboriú, inclusive, tem a maior academia de padel das Américas. Já Joinville firmou uma parceria com um centro de treinamento da Espanha para formação de atletas menores em profissionais.

Essa forte adesão, que também se espalhou para fora do Estado, resultou na criação de ligas profissionais no Brasil, país que já teve até um atleta como número 1 do mundo: Pablo Lima.

Ligação com Filipe Luís

Enquanto o esporte cresce no Brasil, a capital mundial do padel continua sendo Madrid, na Espanha, segunda modalidade mais praticada no país europeu, com mais de cinco milhões de atletas.

E foi justamente lá que o craque jaraguaense do futebol, Filipe Luís, conheceu o esporte. Na época em que jogava no Atlético de Madrid, antes de acertar com o Flamengo, o jogador praticava o padel como um hobby e sempre teve interesse em trazê-lo a sua cidade natal.

Foi aí que surgiu a parceria com Alessandro Becker, que com o mesmo desejo do lateral-esquerdo, abriu o Jaraguá Padel dentro de um empreendimento de Filipe Luís.

Regras

Praticado em duplas, numa quadra de 20mx10m com a rede no centro e paredes (de vidro ou alvenaria) no fundo e nas laterais com grades, o padel é muito dinâmico fazendo com que os atletas estejam sempre alertas e em contínuo movimento.

A bola deve tocar o solo antes da batida e deve cair na área de serviço da quadra adversária. Caso a bola toque a parede de vidro ao fundo ou nas grades antes, é considerado fora.

Para devolver a bola para a quadra adversária, é permitido que o jogador use a sua própria parede de vidro, podendo fazer um tipo de “tabela” (contra a parede e não contra a cerca).

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Um dos fundamentos é o saque, que deve ser executado na altura da cintura para fazer a bola quicar uma única vez na quadra do adversário.

As marcações são as mesmas do tênis, ou seja, 15-30-40 e game, sendo que uma partida geralmente é disputada em dois sets de até seis games, podendo variar em alguns torneios.

A raquete, na sua grande maioria, é feita de fibra de carbono e a bola é bem parecida com a utilizada nas partidas de tênis.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes