Foi detectada uma nova variante do coronavírus no Brasil por conta da realização da Copa América no país. O Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, identificou a nova cepa B. 1.216 em duas pessoas no Mato Grosso, até então era inédita esta variação da Covid-19.

Os testes positivos foram de um colombiano e um equatoriano. As duas seleções se enfrentaram na Arena Pantanal, em Cuiabá, no dia 13 de junho. Segundo a Conmebol, até o dia 24 de junho, data em que foi divulgado o último balanço, 166 pessoas relacionadas ao torneio estavam com o vírus.

O risco já era de conhecimento do governo. Pela chegada de jogadores, comissão e pessoas ligadas à organização do evento, novas variações poderiam chegar ao Brasil. Por esse motivo, estados como São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio Grande do Norte não receberam as partidas do torneio.

B. 1.216

A variante detectada no Brasil é originária da Colômbia, porém já chegou ao Caribe, nos EUA e outros países da Europa.

Esta variação não faz parte das mutações que desenvolveram formas mais letais ou contagiosas da doença como a variante Delta (indiana) ou a Beta (sul-africana), mas é necessário acompanhá-la de perto.

Desde que o Governo Federal e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) aceitaram sediar Copa América, o Ministério da Saúde solicitou auxílio do Instituto Adolfo Lutz para mapear os testes de Covid-19 realizados nas pessoas envolvidas na competição.

Através do mapeamento é possível identificar novas variáveis.