Segundo o portal "Público", a transferência de Eder Militão do Porto ao Real Madrid em 2019 é alvo de investigação do Ministério Público de Portugal.

Na mira estão dois empresários e uma quantidade de mais de 9,5 milhões de euros (R$ 57 milhões) pagas em comissão aos agentes.

Um dos nomes é o de Bruno Macedo, detido pela Operação Cartão Vermelho, que afastou o presidente do Benfica, Luis Filipe Vieira, do cargo.

O empresário brasileiro Giuliano Bertolucci também é um dos principais alvos desta investigação.

Segundo as fontes ouvidas pelo jornal, cerca de 21% do valor da venda foi destinada aos intermediários.

Além desta transação, a contratação de Militão do São Paulo para o Porto também está sendo averiguada por conta da presença de Pedro Pinho, agente ligado ao presidente dos Dragões, Jorge Nuno Pinto da Costa.

Fonte: Meia Hora