Quem acompanha a trajetória de Filipe Luís no futebol sabe da luta e dedicação do atleta para realizar o sonho de estar disputando uma Copa do Mundo.

Do início da carreira, quando deixou a família em Jaraguá do Sul para ir jogar no Figueirense até atingir o auge de um jogador ao vestir a camisa de sua seleção em um Mundial, o lateral esquerdo teve uma vida repleta de acontecimentos dentro e fora dos gramados.

Mas todas as dificuldades enfrentadas e o esforço durante 15 anos como profissional no esporte foram recompensados no jogo de classificação para as oitavas na semana passada, contra a Sérvia, e valorizados ainda mais ontem, quando o jaraguaense fez sua primeira partida como titular pelo Brasil no maior evento de futebol do planeta.

Foto Kirill Kudryavtsev/ AFP

Um misto de orgulho e emoção indescritíveis para amigos e familiares. Que diga o pai do atleta, Moisés Kasmirski. Maior incentivador da carreira do filho desde os tempos de categorias de base.

Moisés foi pego de surpresa ao ver Filipe em campo após a lesão de Marcelo, mas destaca a oportunidade como um prêmio pelo sacrifício do filho.

“Foi uma mistura de surpresa, medo, alegria em ver o Filipe em campo. Quando ele (Filipe) saiu de casa talvez não imaginava jogar em uma seleção brasileira, nem uma Copa do Mundo. Mas eu penso que é um prêmio para ele por estar no final de carreira e nada mais do que merecido pelo esforço e por tantos ‘quases’ que ele sofreu na vida”, disse Moisés, lembrando dos três mundiais mais recentes.

Em 2010, o lateral não foi a Copa na África do Sul devido a uma fratura no tornozelo. Quatro anos depois, no Brasil, acabou preterido pelo técnico Felipão.

Já na edição desta temporada, ele temeu ficar de fora em virtude de uma fratura na fíbula da perna esquerda, sofrida três meses antes do início do Mundial. Porém, se recuperou a tempo e contou com a confiança de Tite para aparecer na lista de convocados.

Uma escolha que vem se mostrando justa para Moisés, que rasgou elogios as atuações do filho nas vitórias sobre a Sérvia e México.

“O Filipe foi muito bem contra a Sérvia e isso deu confiança e ajudou ele a ser titular para o jogo de hoje (ontem contra o México). No conceito que eu tenho de lateral, de defender primeiro e depois atacar, ele foi muito bem. Em nenhum momento ele se acovardou com os bons atacantes do México e isso o vem fortalecendo cada vez mais”, destacou.

Malas prontas

O nervosismo, angústia, emoção e alegria de ver Filipe Luís em campo agora será sentida de perto pelo pai.

Após acompanhar os quatro primeiros jogos da seleção brasileira pela TV, Moisés Kasmirski embarca para Rússia hoje e vai assistir o confronto contra a Bélgica pelas quartas de final, in loco.

Além da oportunidade única em ver um jogo do Brasil na Copa, ele conta os minutos para ver o filho após cinco meses longe.

“Estou com muitas saudades do Filipe e meus netos. Não vejo a hora de poder falar com eles e espero levar a sorte da família para facilitar as coisas”, brincou Moisés, que ainda projetou o adversário da seleção brasileira na próxima sexta-feira (6) e a confiança no hexacampeonato.

“É um jogo muito difícil. A Bélgica é um dos candidatos ao título, mas a comissão técnica e jogadores estão determinados a conquistar o título. Não dá para prometer título, mas eles estão trabalhando muito e com seriedade para chegar lá. É um grupo muito unido e qualificado, então podemos sonhar”, finalizou

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?