"A esperança é a última que morre". O ditado é velho, mas resume muito bem o sentimento atual do elenco do Juventus.

Com chance remotas de estar na elite do futebol catarinense do ano que vem, o Tricolor tem uma missão complicada: vencer os últimos quatro jogos da Série B e torcer por uma combinação improvável de resultados dos melhores colocados da competição.

Entretanto, nada que desanime o grupo, como declarou o zagueiro Michel Carioca, que também recorreu a um chavão para manter a chama da vaga acesa.

“Enquanto existir chances, vamos lutar. Tínhamos uma meta de ganhar todos os jogos em casa no returno, mas infelizmente não estamos conseguindo os resultados. Vontade não falta e chances estamos criando. Então o importante é continuar o foco, sem desistir”, disse.

A esperança do acesso diminuiu após mais uma derrota em casa, que deixou o Moleque Travesso em uma situação delicada no torneio.

Com o 1 a 0 sofrido para o Fluminense, de Joinville, na noite de quarta-feira (25), no estádio João Marcatto, a equipe comandada pelo técnico Celso Rodrigues chegou a terceira derrota consecutiva na Série B.

Com isso, estacionou nos 4 pontos, caiu para 8º lugar e viu a distância para o líder do returno, o Marcílio Dias, aumentar para 9 pontos. Já na classificação geral, o time jaraguaense está em 7º colocado, com 15 pontos, dez atrás do primeiro dentro do G-4, que é o Metropolitano.

“Tem que acreditar e brigar pelos resultados até o fim. Esse é meu pensamento e não vamos nos entregar. Luta não vai faltar para reverter esta situação e estamos trabalhando para isso”, destacou o treinador juventino.

Depois de dois jogos em seus domínios, o Juventus agora encara dois confrontos consecutivos como visitante.

O primeiro acontece já neste domingo (29), quando enfrenta o Marcílio Dias, às 15h, no estádio Dr. Hercílio Luz, em Itajaí. Três dias depois, a equipe encara o Operário de Mafra, no estádio 16 de abril, na cidade de Itaiópolis.

CLASSIFICAÇÕES:

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?